28 novembro 2007

Crónicas de uma morte anunciada

Yes, LinkedIn and News Corp. are working on a deal: News Corp.’s strategy, from what we understand: Somehow integrate LinkedIn’s network with the Wall Street Journal as well as its other newspapers around the world, hopefully figuring out how to recoup News Corp.’s newspapers’ declining classified ad revenue in the process.

Web bubble 2.0 for social networks? some advertisers are making the mistake of thinking that social media will be the answer to all their advertising needs, and that MySpace, Facebook, YouTube and others of their ilk will become the ABC, CBS and NBC of the 21st century.

“Marketers have finally given up the illusion that TV is the magic solution to everything,” Nail said. “The problem is marketers want to look for the next magic solution and social media is not it.”

27 novembro 2007

Do autor de Dilbert

Going Forward
I’ve decided to blog less. [...]
I hoped that people who loved the blog would spill over to people who read Dilbert, and make my flagship product stronger. Instead, I found that if I wrote nine highly popular posts, and one that a reader disagreed with, the reaction was inevitably “I can never read Dilbert again because of what you wrote in that one post.” Every blog post reduced my income, even if 90% of the readers loved it. And a startling number of readers couldn’t tell when I was serious or kidding, so most of the negative reactions were based on misperceptions.

Índice de Desenvolvimento Humano


2007/2008 Human Development Index rankings
1. Iceland
2. Norway
3. Australia
4. Canada
5. Ireland
6. Sweden
7. Switzerland
8. Japan
9. Netherlands
10. France
...
29. Portugal

12 anos de dois SOs


Desktop Evolution: Windows and Mac OS Visual Comparison Through the Years

Da Wikipedia

WikiCharts — Top 100 — 11/2007: This tool shows the articles from the English Wikipedia that are viewed most.
Statistics have been running 26 days. This tool is still being tested. Some of the results may be false or misleading!

Views per day Percent Title
23 708 538 ± 0% 3.7183% 1. Main Page
706 615 ± 2% 0.1108% 2. Wiki
318 923 ± 3% 0.0500% 3. Harry Potter and the Deathly Hallows
314 769 ± 3% 0.0494% 4. Naruto
311 769 ± 3% 0.0489% 5. Guitar Hero III: Legends of Rock
260 077 ± 3% 0.0408% 6. Wikipedia
258 231 ± 3% 0.0405% 7. United States
250 846 ± 3% 0.0393% 8. Deaths in 2007
243 000 ± 3% 0.0381% 9. Heroes (TV series)
236 769 ± 3% 0.0371% 10. Transformers (film)

26 novembro 2007

AlMentiras Marques, com Marcelo também

No passado domingo, Marcelo Rebelo de Sousa falou da discrepância sobre o que disse o já não presidente da RTP Almerindo Marques sobre o pivô José Rodrigues dos Santos (JRS) sem revelar que isso já tinha sido dito no dia anterior por Eduardo Cintra Torres (ECT) no Público. Em "Que é a verdade", ECT regista a verdade:



Voltando a Almerindo, ao Correio da Manhã ele explicou "na derradeira entrevista como presidente da RTP" que "Foi uma decisão tomada numa reunião de conselho [CA] das quartas-feiras".

Ora se a entrevista de JRS foi publicada a 7 de Outubro na revista Pública e a tal reunião do CA da RTP só ocorreu na quarta-feira seguinte, 10 de Outubro, como é que o mesmo CA emite um comunicado a 9 de Outubro [terça, um dia antes da tal reunião do CA] onde diz que "Pelo exposto, e correndo o risco de ir ao encontro da estratégia de vitimização e busca de protagonismo do Sr. Dr. José Rodrigues dos Santos, face à gravidade dos factos ocorridos,e para salvaguarda do bom nome da RTP e dos seus quadros, o Conselho de Administração decidiu iniciar os procedimentos legais que as circunstâncias requerem."

E como é que nesse dia 9 "o Expresso sabe que o jornalista [JRS] foi suspenso de funções e que será alvo de um processo disciplinar que visa o despedimento"?

José Sócrates dixit

The European Project Is One of the Grandest Ideas in the World

Dos media


If you're going to spin to the advertising community, you're going to have to try harder than that: AdWeek is going from being a weekly magazine to publishing only every other week. Everyone in the advertising industry knows what's going on: AdWeek's readership has plummeted and it's trying desperately to remain relevant in a mostly-digital world.

Google and Other People's Content: Google will start buying content companies. In fact, they say, Google will have no choice.

Amazon Kindle sells out on debut despite scepticism about whether the device will prove popular.

Piadinha

Add Letters generate your own funny pictures based on the text you enter

Filmes de Hitchcock em 1000 imagens


"1000 Frames of Hitchcock" is an attempt to reduce each of the 52 available major Hitchcock films down to just 1000 frames.

Mudanças climáticas

22 novembro 2007

Alguém está a ouvir?


Pay Me for My Content: Like so many in Silicon Valley in the 1990s, I thought the Web would increase business opportunities for writers and artists. Instead they have decreased. Most of the big names in the industry — Google, Facebook, MySpace and increasingly even Apple and Microsoft — are now in the business of assembling content from unpaid Internet users to sell advertising to other Internet users. [...]

There’s an almost religious belief in the Valley that charging for content is bad. The only business plan in sight is ever more advertising. One might ask what will be left to advertise once everyone is aggregated.

How long must creative people wait for the Web’s new wealth to find a path to their doors? A decade is a long enough time that idealism and hope are no longer enough. If there’s one practice technologists ought to embrace, it is the evaluation of empirical results.

Dívidas do e para com o Estado

4926 vs 5886

Foi há 30 anos


Happy 30th Birthday Internet! The Internet is 30 today. Exactly 30 years ago today on November 22, 1977 the first three networks were connected to become the Internet. These three were:

* ARPAnet
* A lossy packet radio network (the lossiness of this network greatly influenced the design of TCP/IP)
* The Atlantic Packet Satellite Network (a.k.a. SATNET)

There were computer networks before this, but this was the first network of networks that deliberately attempted to connect heterogeneous systems without regard for platform. It was the thing which grew into today’s Internet. Except for one brief discontinuity in 1983 when the entire Internet was turned off to switch over to TCP/IP, there’s a continuous progression from then to now.

Modelo holográfico


CAVEman Creates Amazing, Gigantic 4D Holograms of the Human Body: Combining data from CT scans, X-rays, biopsies and other medical tests, it creates a gigantic, realistic model of a patient's body.

21 novembro 2007

No Dia Mundial da Televisão



Para "Pensar a Televisão (e as suas alternativas)" e quando se pensa em novos canais para a TDT, um contributo:


O que vai mudar na televisão
A televisão tal como a conhecemos pode alterar-se nos próximos anos devido a uma nova directiva comunitária que, a ser aprovada em termos europeus e na transposição para o direito interno, terá implicações significativas quer para os operadores tradicionais como para os operadores emergentes de WebTV.

O alerta foi deixado na reunião sobre Televisões na Internet, realizada a 9 de Novembro em Lisboa e organizada pela Associação Portuguesa de Imprensa (API).

Apesar do título, o que se analisou foi a directiva para os serviços de Media Audiovisual (também conhecida por AVMS, de Audiovisual Media Services) que introduz alterações significativas nos serviços lineares e não-lineares (on demand), nomeadamente em questões como a publicidade, auto e co-regulação, cedência de direitos de eventos de interesse público ou educação para os media.

O documento que revê a directiva Televisão Sem Fronteiras, de 1997, foi aprovado em Outubro pela Comissão Europeia, após negociações prévias com o Parlamento para evitar a introdução de alterações, devendo ser levado ao plenário europeu a 27 de Novembro para aprovação final. Seguem-se dois anos para ser transposto em cada país.

A AVMS deixa de fora sites Web de partilha de vídeo ou os jogos e apostas online, os sites de jornais e revistas ou os blogues pessoais.

No entanto, a formulação do que fica de fora dos serviços de media audiovisual é ainda assim confusa, referindo-se por exemplo que actividades que não sejam económicas, não concorram com transmissões televisivas e não sejam do tipo televisivo (na competição pelas mesmas audiências) não são abrangidas por esta directiva.

Ora um site como o YouTube, é de media on demand, tem publicidade e, pelo menos em termos de tempo e de audiências, concorre cada vez mais com a televisão.

Em mais detalhe, a directiva coloca normas ao nível da publicidade que não fazem muito sentido, como foi salientado na reunião. Por exemplo, a publicidade é definida a partir das emissões no país, mesmo que essas emissões sejam destinadas a outro.

Isso já sucede com canais de televisão por cabo a emitir de Espanha para Portugal e que ali podem encontrar una maior permissividade em termos de transmissão de anúncios a bebidas alcoólicas, por exemplo, que não encontram no nosso país. No limite, explicou Teresa Ribeiro, presidente do Gabinete de Meios de Comunicação Social (GMCS), as operadoras de países mais restritivos podem deslocar-se para outros com regras mais flexíveis.

Ainda na publicidade, os intervalos dos filmes vão ser diminuídos dos actuais 45 para 30 minutos. No geral, impõe-se um intervalo de 20 minutos entre cada bloco publicitário.

Em termos de colocação de produto (o chamado product placement), a proibição é incentivada mas nos casos em que ela exista (filmes, séries, programas desportivos e de entretenimento ligeiro) será obrigatória a indicação dos patrocínios no início, fim e intervalos.

Na cedência de extractos noticiosos em eventos de interesse público, há um limite de 90 segundos. Para o online, só os sites dos operadores podem retransmitir na íntegra esses excertos, não os podendo ceder a terceiros. Assim, um telejornal pode ser visto no canal online do operador mas esse mesmo telejornal cedido a outra empresa será amputado dos excertos “para evitar a criação de um mercado paralelo de conteúdos com sites em cascata”, explicou Teresa Ribeiro.

A directiva incentiva a auto-resolução de conflitos e João Palmeiro, presidente da API, anunciou que poderá ser re-activado muito em breve o Conselho de Imprensa, que funcionou até início dos anos 90. Esta entidade envolvia patrões dos media, jornalistas e partidos e analisava, por exemplo, o direito de resposta ou questões deontológicas.

Em termos internos, a directiva “mexe com a Lei da Televisão – que pode mudar de nome ou criar-se outra e com o Código da Publicidade”, referiu a responsável do GMCS. João Palmeiro referiu que o “Governo insiste em mexer neste Código, que ficará com o Código do Consumidor, com 700 artigos no total”.

Na segunda reunião europeia sobre a AVMS – a primeira foi realizada no Reino Unido em 2006 e dela saíram várias críticas e propostas de reformulação – foi ainda salientado que a directiva não obriga os Estados a políticas de educação para os media mas que a Comissão vai monitorizar o que se passa em cada um, criando assim um índice classificativo.

Críticas à TDT
Os novos operadores de televisão na Internet “devem ser ouvidos sobre a nova directiva AVMS, tanto mais que muitos, em termos de proximidade, são um sucesso”, garante André Rodrigues, responsável pela TVNet, a televisão online mais antiga em Portugal, a funcionar desde Dezembro de 2005.

O objectivo é não serem deixados de fora de um processo que não é apenas técnico mas político, tal como sucede com a televisão digital terrestre (TDT). Neste caso, André Rodrigues reclama uma “transparência no processo político [porque] só se tem falado dos aspectos técnicos”.

A questão da TDT foi ainda abordada pelo investigador Paulo Faustino, salientando que “a banda larga é mais sofisticada em termos tecnológicos e pode ter mais sucesso do que a TDT em mercados pequenos como o de Portugal”. Esta tecnologia “envolve custos muito elevados e haverá dificuldade em a financiar”.

Com “dezenas de milhar” de utilizadores e um milhão de acessos por mês, a TVNet quer ser um canal generalista com emissão por cabo. Não assumiu o interesse na TDT mas, salientou aquele responsável, “somos multiplataforma”.

Sobre a pretensão de serem escutados, João Palmeiro, da API, anunciou que no início de 2008 será realizada uma reunião com os operadores online “para se ouvirem as suas pretensões”. Antes, em Dezembro, será comemorado o Dia Nacional da Imprensa dedicado aos tópicos da literacia para os media, auto-regulação e indústrias da criatividade.

O problema dos fascículos
“Só a imprensa pode falar à vontade da directiva AVMS porque os outros serão acusados de terem interesses” no assunto, explicou João Palmeiro, presidente da Associação Portuguesa de Imprensa (API) no evento Televisões na Internet.

O mesmo problema coloca-se aos jornais para falarem dos produtos associados a propósito do recente decreto-lei 331 sobre regras de promoção e comercialização das colecções em fascículo.

Além de criticar a rapidez com que foi preparado e aprovado – foi a Conselho de Ministros em 26 de Julho de 2007, publicado a 9 de Outubro em Diário da República para entrar em vigor um mês depois –, o responsável da API considera que pode prejudicar gravemente editoras e quiosques de venda.

A lei promove a informação aos consumidores ao obrigar à afixação bem visível do preço e informação de cada fascículo, valor total da colecção, número de unidades, periodicidade, data de distribuição e duração temporal. O mesmo é válido para a publicidade à colecção. No caso do preço, número de fascículos, periodicidade e data de distribuição, essa informação deve constar na capa, sobrecapa ou embalagem.

A rapidez deste processo, que algumas empresas de comunicação social afirmam desconhecer, tem um impacto imediato: desde o passado dia 9, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica pode multar quem não retirou as colecções sem estas indicações, mesmo que isso obrigue a interromper a periodicidade regular da colecção.

Por último, estabelece-se que em caso de interrupção ou cessação da colecção, o editor é obrigado a restituir ao consumidor as quantias já pagas, “mediante a apresentação do comprovativo dos pagamentos efectuados”. Ou seja, o consumidor terá agora de guardar as facturas de cada jornal e produto associado que comprar e não precisa de devolver os fascículos que adquiriu se a editora parar com a colecção.

Uns e outros

Comunicado do Conselho de Redacção do "JN" vs. SJ pronuncia-se sobre situação na RTP

Perfis detalhados

Digital Trails

Videojogos (edição de 2001)


"Trigger Happy - The Inner Life of Videogames" is a book [currently available as a free download] about the aesthetics of videogames: what they share with other artforms, and the ways in which they are unique.

Votação electrónica

Who Would The World Elect for the President of the United States?
PORTUGAL Votes for:
116 votes for Ron Paul
104 votes for Barack Obama
27 votes for Hillary Clinton
25 votes for Dennis Kucinich
22 votes for Rudy Giuliani

UNITED STATES Votes for:
27320 votes for Ron Paul
8513 votes for Barack Obama
4349 votes for Dennis Kucinich
1698 votes for Hillary Clinton
1364 votes for Mike Gravel

IRAQ Votes for:
7 votes for Ron Paul
2 votes for Mitt Romney
2 votes for Rudy Giuliani
2 votes for Barack Obama
1 vote for Bill Richardson

20 novembro 2007

Da memória


"My memory flows like a movie—nonstop and uncontrollable," says AJ. She remembers that at 12:34 p.m. on Sunday, August 3, 1986, a young man she had a crush on called her on the telephone. She remembers what happened on Murphy Brown on December 12, 1988. And she remembers that on March 28, 1992, she had lunch with her father at the Beverly Hills Hotel. She remembers world events and trips to the grocery store, the weather and her emotions. Virtually every day is there. She's not easily stumped. [...]

EP has two types of amnesia—anterograde, which means he can't form new memories, and retrograde, which means he can't remember old memories either, at least not since 1960. His childhood, his service in the merchant marine, World War II—all that is perfectly vivid. But as far as he knows, gas costs less than a dollar a gallon, and the moon landing never happened.

AJ and EP are extremes on the spectrum of human memory. And their cases say more than any brain scan about the extent to which our memories make us who we are. Though the rest of us are somewhere between those two poles of remembering everything and nothing, we've all experienced some small taste of the promise of AJ and dreaded the fate of EP. Those three pounds or so of wrinkled flesh balanced atop our spines can retain the most trivial details about childhood experiences for a lifetime but often can't hold on to even the most important telephone number for just two minutes. Memory is strange like that.

A ver

19 novembro 2007

Leitor Amazon



Kindle: Amazon's New Wireless Reading Device
Amazon debuts Kindle e-book reader
The Future of Reading: Amazon's Jeff Bezos already built a better bookstore. Now he believes he can improve upon one of humankind's most divine creations: the book itself.

À escuta

Apple Secretly Tracking iPhone IMEI and Usage (with proof): Hidden in the code of the “Stocks” and “Weather” widgets is a string that sends the IMEI of your phone to a specialized URL that Apple collects.

16 novembro 2007

Para um outro jornalismo?

"Ideias para um melhor jornalismo" vs "É chegada, dizem-me, a hora de partir" com "Ainda Joaquim Fidalgo; (d)os leitores do Público".

Ainda a ERC

e o passo a passo:
desde que não haja "delegação ou partilha das suas competências reguladoras" mas porque a "ERC deve promover a co-regulação e incentivar a adopção de mecanismos de auto-regulação pelas entidades que prosseguem actividades de comunicação social e pelos sindicatos, associações e outras entidades do sector" (segundo os seus Estatutos), o anunciado renascimento do Conselho de Imprensa (CI) pode - como sucedia antes e apesar de dúvidas e silêncios - ficar com a "gestão" do direito de resposta.
Desta forma, na referida deliberação, a ERC cria jurisprudência - apoiada até pelo Presidente da República para quem o Governo deve "respeitar as decisões dos reguladores" - que pode vir a ser da competência desse CI.
Ou seja, cria um patamar que outros vão ter de gerir. Estou enganado?

PS.: só por curiosidade: a ERC, no âmbito das suas atribuições, anda a "Fiscalizar a conformidade das campanhas de publicidade do Estado, das Regiões Autónomas e das autarquias locais com os princípios constitucionais da imparcialidade e isenção da Administração Pública"?

Futurologia ou macromiopia?

The Death of E-Mail: Teenagers are abandoning their Yahoo! and Hotmail accounts. Do the rest of us have to?

MacroMyopia overestimating the short term and underestimating the long term

Pedido de ajuda


Help me save Newsmap!
Newsmap has been running for about 4 years now [...]
As of today, November 15th 2007, Google decided to pull the plug on it by shutting down access to the parser I use to scrape their HTML. [...]
I'm now in touch with the Google News team.
We are actively trying to figure something out.

Ideia genial


Well Done: a food company annual report that has to be cooked first

Uma boa lista de falsificações fotográficas desde o século XIX

Digital Tampering in the Media, Politics and Law (com papers relacionados)

15 novembro 2007

Passo a passo

Este blogue não prossegue actividades de comunicação social, não disponibiliza regularmente ao público conteúdos submetidos a tratamento editorial nem está organizado como um todo coerente
Este aviso com a hiperligação para o Estatuto da ERC constou neste blogue durante meses, desde que o mesmo foi aprovado e, na altura, se gerou alguma polémica sobre a potencial vigilância da ERC aos blogues.

Perguntava-se se partes desse estatuto eram "para os blogues ou para a confusão?" Que não, que não... Olha que sim, olha que sim...

A recente deliberação da ERC sobre o site da Câmara Municipal do Porto mostra a vontade da mesma alargar as suas competências, criando jurisprudência que a tornam vigilante do que se escreve ou emite.

Exagero, mais uma vez?

A deliberação começa por considerar (pág.s 8 e 9) que "Em termos subjectivos, o âmbito de intervenção da ERC está definido no art.º 6.º, EstERC. Ali se diz que “[e]stão sujeitas à supervisão e intervenção do conselho regulador todas as entidades que, sob jurisdição do Estado Português, prossigam actividades de comunicação social”.

Explica depois que "Para o objecto da presente participação interessam-nos as alíneas b) e e) do referido art.º 6.º, EstERC, segundo as quais estão sujeitas à supervisão e intervenção do conselho regulador da ERC:
a) as pessoas singulares ou colectivas que editem publicações periódicas, independentemente do suporte de distribuição que utilizem;
e) as pessoas singulares ou colectivas que disponibilizem regularmente ao público, através de redes de comunicações electrónicas, conteúdos submetidos a tratamento editorial e organizados como um todo coerente.
"

Lembra ainda a ERC - numa definição que pode integrar os blogues como publicações periódicas: "De facto, são publicações “todas as reproduções impressas de textos ou imagens disponíveis ao público, quaisquer que sejam os processos de impressão e reprodução e o modo de distribuição utilizado”, excluindo “boletins de empresa, relatórios, estatísticas, listagens, catálogos, mapas, desdobráveis publicitários, cartazes, folhas volantes, programas, anúncios, avisos, impressos oficiais e os correntemente utilizados nas relações sociais e comerciais” (cf. art.º 9.º, n.ºs 1 e 2, Lei de Imprensa, Lei n.º 2/99, de 13 de Janeiro, doravante LI). Ademais, conforme o art.º 11.º, n.º 1, LI, são periódicas “as publicações editadas em série contínua, sem limite definido de duração, sob o mesmo título e abrangendo períodos determinados de tempo” (...)"

Na página 15 do documento, outra pérola que interessa aos blogues: "Assim, independentemente do tipo de conteúdos – jornalísticos ou de outra natureza – pode definir-se tratamento editorial como o processo ou conjunto de actividades envolvidas na selecção, transformação e apresentação de uma matéria-prima informativa (normalmente, um acontecimento), com vista à sua divulgação pública através de um suporte mediático. A montante, o tratamento editorial pressupõe o planeamento da edição/programação de acordo com a linha e os critérios editoriais orientadores do produto informativo. Com efeito, a filosofia e os objectivos editoriais (plasmados em documentos como, no caso das empresas jornalísticas, os estatutos editoriais) condicionam e influenciam decisivamente todo o processo de tratamento editorial".

Finalmente (pág.s 28 e 29), "Faça-se notar, ainda, que os conteúdos divulgados no site da CMP, apesar de não assumirem carácter jornalístico, não se lhes aplicando, assim, os normativos legais e deontológicos do jornalismo, estão sujeitos no entanto à observância do direito de resposta e ao respeito dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos.", embora "Quanto ao regime jurídico a aplicar quanto aos pressupostos e condições de exercício de um direito de resposta, só o caso concreto determinará qual o corpo normativo analogicamente aplicável. De facto, a multiplicidade de conteúdos passíveis de divulgação na internet poderá determinar a aplicação da Lei de Imprensa [Artigo 24.º e seguintes, link meu], Lei da Rádio ou Lei da Televisão, com as necessárias adaptações, consoante se tratem de conteúdos escritos, áudio ou audiovisuais."

Perante estas incongruências numa deliberação, o que pensar? Mas há mais.

O Gabriel já chamou a atenção para quem vigia a ERC, o João Paulo Meneses questiona-se sobre como irá a Entidade promover o direito de resposta em blogues anónimos.

Neste último caso, o problema é alargado caso a ERC venha a intervir efectivamente nos blogues. O texto ao abrigo do direito de resposta deve ser entregue "através de procedimento que comprove a sua recepção". Ora como é que a ERC poderá validar que o queixoso invocou esse direito sem provas da recepção? Pede à entidade gestora da plataforma de blogues para saber se foi eliminado algum comentário ou, nos blogues que os não tenham, tenta validar se algum email foi enviado e recebido e deitado para o lixo? Desejos de bom e muito trabalho...

Para quem entra ou sai de Inglaterra

Passengers forced to answer 53 questions BEFORE they travel

Bush veta português como segunda língua

...ou o português no mesmo catamarã de uma escola de vela ou de uma prisão-museu.
President Bush Visits Indiana, Discusses Budget: As of this morning, Congress has sent me only two annual appropriations bills. One is the spending bill for the Defense Department. This isn't a perfect bill; it includes some unnecessary spending. But this morning in the Oval Office I signed that bill to make sure our military has the full support of the federal government. (Applause.)

The other spending bill is for the Departments of Labor, Health and Human Services, and Education. This bill is 44 days late and nearly $10 billion over budget, and filled with more than 2,000 earmarks. Some of its wasteful projects include a prison museum, a sailing school taught aboard a catamaran, and a "Portuguese as a second language" program. Congress owes the taxpayers much better than this effort. And so today in the Oval Office I vetoed this bill. (Applause.) Congress needs to cut out that pork, reduce the spending, and send me a responsible measure that I can sign into law.

Utilidades

90+ Antivirus Tools

Sem comentários (ou indicação de autor)

13 novembro 2007

Cenas do comércio electrónico em Portugal

Quando decorre a 4ª Semana do Comércio Electrónico, ora aqui está alguém que se podia candidatar aos prémios ACEP por comprar na Internet...
Nem tudo o que vem à net é peixe: Preciso urgentemente da máquina, de forma que vou comprar uma igual no comércio tradicional, onde já vi que é mais barata 30 euros e ainda me oferecem uma bolsa, um tripé e, espero eu, um “bom dia e obrigado, volte sempre.” Depois vou preparar-me psicologicamente para a batalha pela restituição do dinheiro que paguei pela outra.

12 novembro 2007

A capa do ano


Best concept cover

Internet e Jornalismo

No seu último texto (sobre a avaliação dos textos online apenas com um sim), o provedor do Público "considera que aquilo que está causa não é a possibilidade de os leitores responderem “sim” e “não”, mas a existência do próprio inquérito.
A pergunta “Achou este artigo interessante” é perversa no plano do jornalismo, porquanto os jornais podem optar por dar aos cidadãos aquilo que eles querem. A informação passaria a ser mais uma mercadoria, deixaria de ser um serviço. Nas sociedades democráticas, o “interesse do público” não pode substituir-se ao “interesse público”.
"

O comentário provoca, pelo menos, duas observações:
1) com ou sem pergunta, os jornais já podem dar aquilo que os cidadãos querem pela análise das audiências online, das páginas e notícias mais vistas. O ter uma resposta qualitativa não aumenta essa possibilidade (que pode ser perversa. sem dúvida);
2) porque é que o "interesse do público" não pode ser entendido pelos jornalistas como "interesse público"?
Se um jornal detecta que notícias sobre ciência ou tecnologia, por exemplo, são bastante lidas pelos seus leitores, não pode ou deve aumentar as notícias dessas secções? Porque serão os directores ou os jornalistas apenas a definir e gerir o que é o tal "interesse público"?

O teste que explica a falta de leitores...

What level of education is required to understang your blog?

Old habits die hard

Marc Andreessen Warns "Old Media" Over Writers' Strike: "So imagine you're a major media mogul....You're faced with a massive, once-in-a-lifetime shift in mainstream consumer behavior from traditional mass media....to new activities that you do not control: the Internet, social networking, user-generated content, mobile services, video games...Is this really the right time to pick a fight with the writers over royalties from DVD and Internet sales...?"
Actualização de Andreessen: However, in the event of a long-term strike, out of the ashes of the traditional model would -- I believe -- come the birth of certainly dozens, maybe hundreds, and possibly even thousands of new media companies, rising phoenix-like into the global entertainment market, financed by venture capital, creating amazing new properties, employing large numbers of people, and rewarding their creators as owners.

Online Media Steps Tentatively Into New Business Models: dominant theme: extending reach in an online marketplace that is expanding as quickly as it is fragmenting.

Print Must Do More Online: Ink-on-paper newspapers and magazines still have plenty of life left in them, but they may need to make radical changes to their model to stay relevant in today’s multimedia world

Debates políticos

Net gains: How technology could save presidential debates
Mass media, the communications technology that became supreme in the 20th century, has ruined debates. [...]
But technology can also help restore the debate.

10 novembro 2007

William Gibson

The Rolling Stone 40th Anniversary Interview:
In the past ten years, we've seen incredible advances in nanotechnology and synthetic biology. Does any of it amaze you?

My assumption has always been that at some point we would lock on to a literally exponential increase in human knowledge. That was my best guess, somewhere back in the Seventies. There hasn't been anything that made me sit back and say, "Golly, I would never have imagined that." The aspects of recent history that have caused me to do that have been, in every case, manifestations of retrograde human stupidity.

How do you mean?

It's been an extraordinarily painful decade or so. I just never in my wildest dreams could have imagined that it could get as fucked up as this guy [George Bush]. It still amazes me how dumb so much of our species can manage to be. But that's kind of like being amazed at life.

Does any of it scare you? A new synthetic life form or nanobot running amok?

That could happen. It could all go to gray goo. But it just isn't in my nature to buy a lot of canned food and move to Alaska and try to escape the gray goo.

As calmas viagens de avião já eram

Danger in the Sky: Underfueled Planes
Investigation Reveals Pilots Are Requesting More Emergency Landings Because of Low Fuel [...]
In April, a pilot on a commercial plane entering New York airspace contacted air traffic control to say that his aircraft was running low on fuel.

The recorded conversation between the pilot and air traffic controllers offered a chilling glimpse into the potential dangers in commercial air travel.

Pilot: "We are minimum fuel, sir."

Air traffic controller: "You're declaring an emergency at this time. The time is now 22:57. I need the souls on board and fuel in pounds when you arrive."

Pilot: "Copy that. One hundred fifty-seven souls on board. We have exactly 38 minutes of fuel remaining."

Controllers gave the plane priority landing and it safely touched down with just minutes of fuel remaining.

[BTW: The End of Oil is Upon Us. We Must Move On - Quickly.
Brazil discovers huge new oil reserves: If one of the deposits turns out to be as vast as it appears, Brazil will be in the same league "as the Arab countries, Venezuela and others," the senior minister in charge of the cabinet, Dilma Rousseff, said.]

A quem possa interessar

Mafia's 'Ten Commandments' found:
1. No-one can present himself directly to another of our friends. There must be a third person to do it.
2. Never look at the wives of friends.
3. Never be seen with cops.
4. Don't go to pubs and clubs.
5. Always being available for Cosa Nostra is a duty - even if your wife's about to give birth.
6. Appointments must absolutely be respected.
7. Wives must be treated with respect.
8. When asked for any information, the answer must be the truth.
9. Money cannot be appropriated if it belongs to others or to other families.
10. People who can't be part of Cosa Nostra: anyone who has a close relative in the police, anyone with a two-timing relative in the family, anyone who behaves badly and doesn't hold to moral values.

08 novembro 2007

Pois...

Se os países fossem iguais


This ‘equinational projection’ goes where no Mercator or Peters projection ever went, and shows a world in which every country is the same size. A world which is a little different from ours

Blogosfera de referência (com desculpas pelo uso da quase totalidade do texto)

O que a blogosfera considera importante: A Universidade do Porto apresentou, segunda-feira, o estudo “A Região Norte de Portugal: dinâmicas de mudança social e recentes processos de desenvolvimento”, onde se faz o relato do que tem sido verdadeiramente o Norte. Para perceber quem tinha escrito sobre o assunto, e o quê, fiz uma pesquisa no blogsearch do Google.
Os resultados falam por si. Quatro: aparece apenas o Esgravatar, o novo Bússula (num texto de Fernando Rocha), o BragaBlog e a Sociologavense. Quatro blogues.
Para perceber o que debate a blogosfera nortenha decidi fazer outra pequisa: “Jorge Costa despedido”. [...]
Dezenas de blogues falam sobre o assunto. Significativo, não é?

De certeza

Everybody's PIN Number Revealed!
(Check it out: yours is on here, too!)
(Not intended for criminal use!)

Mercado gratuito


Gratuitos em Portugal com quota de 53% nos dias úteis: Portugal juntou-se ao estreito grupo de países cuja quota de mercado da distribuição de jornais gratuitos ultrapassou, nos dias úteis, a de jornais pagos.

Ciência, estatísticas ou...?

A, My Name is Alice: Moniker Madness: [Leif Nelson of the University of California is] pretty sure they eliminated all other explanations for the weird link between initials and performance. While it’s also true that, as statisticians know, if you search for a correlation between some outcome (strikeouts) and enough possible explanations, you’ll find one by chance alone. But again, the scientists say this is not the case here. Other explanations, anyone?

Eventos do século XX




A series of drawings from an isometric perspective, in the style of a computer game. The subject of each drawing is the image, or images, that created a popular cultural event. Historical events (like the assassination of Dr. Martin Luther King Jr. at the Lorraine Motel) are used interchangeably with fictionalized events (like the picnic scene from The Sound of Music).

07 novembro 2007

Ajuda para o caminho até às eleições

20 Questions A Journalist Should Ask About Poll Results:
# Who did the poll?
# Who paid for the poll and why was it done?
# How many people were interviewed for the survey?
# How were those people chosen?
# What area (nation, state, or region) or what group (teachers,lawyers, Democratic voters, etc.) were these people chosen from?
# Are the results based on the answers of all the people interviewed?
# Who should have been interviewed and was not? Or do response rates matter?
# When was the poll done?
# How were the interviews conducted?
# What about polls on the Internet or World Wide Web?
# What is the sampling error for the poll results?
# Who’s on first?
# What other kinds of factors can skew poll results?
# What questions were asked?
# In what order were the questions asked?
# What about "push polls?"
# What other polls have been done on this topic? Do they say the same thing? If they are different, why are they different?
# What about exit polls?
# What else needs to be included in the report of the poll?
# So I've asked all the questions. The answers sound good. Should we report the results?

Diário da Monarquia

The UK's top [3] most ridiculous British laws were listed as:

# 1. It is illegal to die in the Houses of Parliament (27%)

# 2. It is an act of treason to place a postage stamp bearing the British king or queen's image upside-down (7%)

# 3. It is illegal for a woman to be topless in Liverpool except as a clerk in a tropical fish store (6%)

Tops de discos e artistas

Music Maps: who is listen to what and where

06 novembro 2007

Da Web

Web 2.0 Is On The Ropes: For example, Kleiner Perkins Caufield & Byers, Silicon Valley's leading VC firm, has stopped investing in Web 2.0 startups.

Technorati Drops Content Older Than 6 Months Old: We’re in the midst of some economization, performance fixes and retooling that have required taking some data offline. The data is not lost but our priorities are to prefer keeping recent data online. Most people don’t notice :) We’ll probably be bringing that data back online but I don’t have an ETA yet.

Google is hugely dangerous – claims Times Online editor: The editor of Timesonline today told the Society of Editors conference that Google was 'hugely dangerous' to the newspaper industry.

Poll finds nearly 80 percent of U.S. adults go online: The survey, which polled 2,062 adults in July and October, found that 79 percent of adults -- about 178 million -- go online, spending an average 11 hours a week on the Internet.

Um bom exemplo

de como os jornais "de referência" são cada vez mais idênticos (ou "clónicos"):
Welcome to the clonic journalism club!

Por falar em estupidez

Man angry with son-in-law fingers him as terrorist to FBI: A man in Sweden who was angry with his daughter's husband has been charged with libel for telling the FBI that the son-in-law had links to al-Qaeda, Swedish media reported on Friday.
The man, who admitted sending the email, said he did not think the US authorities would stupid enough to believe him.

04 novembro 2007

Coisas da Web

The shortest domain name ever? g.cn

How to tell if a web page sucks

Abelha? Seinfeld

The Seinfeld Characters

Dito por outros

Os portugueses têm muito pouco amor à liberdade
A PRIVACIDADE E O USO DOS SENTIMENTOS NA PROPAGANDA POLÍTICA: É verdade que, nesta matéria, como em muitas outras, há uma história social que nem sempre vemos com clareza. De facto, os mais pobres nunca valorizaram a privacidade porque nunca a tiveram. Vivendo em condições de promiscuidade num mundo da "aldeia", ou atirados para as "ilhas", para as "vilas" e depois para as várias versões dos HLM franceses, dos bairros sociais, dos subúrbios, a parte de "baixo" da sociedade não tinha "espaço" para essas delícias da riqueza que era ter quartos individuais. O luxo e o dinheiro protegiam, como ainda protegem, a privacidade limitando o "acesso", mas nem por isso se pode considerar a privacidade como um privilégio dos de "cima". A privacidade é, no seu melhor sentido, um dos adquiridos do mundo burguês, da casa, do espaço familiar ou reservado, da liberdade de mostrar ou esconder o que nos parece ser a última propriedade: o mundo próprio do ser.

03 novembro 2007

O novo livro de Rudy Rucker


Postsingular: Today I’ll give you some specific examples of science fiction affecting science fact.
(1) First I’m going to talk about a particular idea that fueled the cyberpunk literary movement in the 1980s.
(2) Second I’m going to talk about how this idea has affected technology over the last twenty-five years.
(3) Third I’m going to talk about some ideas that I’m using in my new series of psipunk novels.
(4) Fourth I’ll say a bit about how I think my new ideas might play out in the technology of the coming twenty-five years.

Um risco

Bandeiras

we are multicolored aims to promote awareness around the contemporary immigrant experience.

Joaquim Fidalgo

"É chegada, dizem-me, a hora de partir" Mas a coluna do Joaquim Fidalgo tem sido - era? - um dos espaços de respiração do Público.
Haja coragem - é preciso mudar mais! É preciso mudar a atitude perante os leitores, é preciso mudar a visão do que é ‘estrategicamente correcto’.
Perder o Joaquim Fidalgo é sinal de alheamento completo.

02 novembro 2007

Blogues de ciência

Blog lines: Science blogs are a welcome phenomenon, but science journalism is still essential

Muda o nome e continua o mesmo?

izea.com: the future of payperpost is here: As of tomorrow, PayPerPost, Inc. will be officially known as IZEA™. It’s less about getting paid per post, and more about social media and marketing all coming together into a whole suite of products and solutions. On November 10th, at PostieCon, Izea’s new service (code name: Argus) will be released to a select few.
[ver 1 e 2]

Grito para todos


Tarzan yelling declared a fundamental right: The literary estate of Tarzan creator, Edgar Rice Burroughs, wanted to register the yell as a trademark.

They said a fortune could be made from ringtones, advertising and computer games from the roar - made famous by Hollywood actor Johnny Weismuller.

But the EU trademark authority has ruled that although it is possible to protect sounds that can be represented by musical notes, Tarzan's cry does not qualify.

[ver mais nos comentários de "The Wilhelm Scream"]

Fotos proibidas


Strictly No Photography: Photo-sharing for pictures taken where you are not allowed to take them.

A mulher certa para o lugar certo?

(esqueçam o Fode Mané)
Chefe de Departamento de Nacionalidade? Marina Nogueira Portugal! (via)

Os génios vistos da Grã-Bretanha

Top 100 living geniuses [greatest living thinkers of our time] compiled by a panel of six experts in creativity and innovation from Creators Synectics, a global consultants firm.
1= Albert Hoffman - Chemist
1= Tim Berners-Lee - Computer Scientist
3 George Soros - Investor & Philanthropist
4 Matt Groening - Satirist & Animator
5= Nelson Mandela - Politician & Diplomat
5= Frederick Sanger - Chemist
7= Dario Fo - Writer & Dramatist
7= Steven Hawking - Physicist
9= Oscar Niemeyer - Architect
9= Philip Glass - Composer
9= Grigory Perelman - Mathematician

Faces


Mr. Angry and Ms. Calm: If you look at the above images from your seat in front of the computer, Mr. Angry is on the left, and Ms.Calm is on the right. Now, get up from your seat, and move back 10 or 12 feet, and PRESTO!! they switch places!!