28 dezembro 2012

Ainda Baptista da Silva

Questões que permanecem, mesmo após o novo comunicado da direcção do Expresso:

1) Ninguém desconfiou antes de um cartão de visita do PNUD com um endereço de correio electrónico no Gmail? 
Contexto: "Victor Ângelo, que foi secretário-geral adjunto da ONU antes de se reformar há dois anos, nota a originalidade do cartão de visita que o "técnico do PNUD" entregou ao director adjunto do Expresso - usa um velho logótipo da ONU, já em desuso, e tem uma morada de gmail [...]"

2) É normal o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) investigar entrevistas e alertar a comunicação social para casos destes? 

Contexto: "No Ministério dos Negócios Estrangeiros a entrevista também causou estranheza, pelas mesmas razões. Logo na segunda-feira, 17 de Dezembro, foram enviadas perguntas para Nova Iorque e para Genebra: o MNE queria saber se Baptista da Silva trabalhava de facto para o PNUD e se o observatório citado existia. A meio da semana chegaram a Lisboa respostas preliminares, dizendo que "tudo indicava ser falso", disseram ao PÚBLICO fontes diplomáticas. Na quinta-feira, numa reunião de coordenação, o assunto foi abordado, mas só de passagem: a equipa do departamento multilateral aguardava resposta formal sobre o caso. Antes do Natal, a resposta oficial chegou por telefone: não havia rasto daquele homem, era um impostor."

Contexto: "A SIC – que segundo Nicolau Santos foi alertada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros – desvendou, no domingo, a suposta farsa de Artur Baptista da Silva".

3) Após a entrevista ao Expresso a 15 de Dezembro, o MNE questiona a ONU a 17. A "meio da semana" (entre 18 e 20?) chegam "respostas preliminares", sendo o caso abordado a 21 mas "só de passagem" numa "reunião de coordenação" (do MNE ou da ONU?). 21 foi a sexta-feira da emissão na SIC do Expresso da Meia Noite com Baptista da Silva. A SIC revela que ele é "impostor" a 23 de Dezembro. A "resposta oficial" do MNE (ou da ONU) chegou assim entre dias 22 e manhã de 23?

4) Qual a razão da urgência do MNE (ou da ONU) trabalharem sábado 22 e manhã de domingo 23 para alertar a SIC sobre o "impostor"? E que equipa é esta do "departamento multilateral" que não existe na lei orgânica do MNE? Ou será da ONU - mas, mesmo assim, quem alertou a SIC sobre a "resposta oficial"?

Sem comentários:

Enviar um comentário