16 fevereiro 2015

Sacos de plástico - qual a fonte destes números e objectivo das discrepâncias?

Diz o Governo, sobre os sacos de plástico:
- "Portugal chegou a atingir as 466 unidades por pessoa, por ano. O objetivo é que, em 2015, cada português use, em média, 50 sacos plásticos e 35 em 2016."
- "Os sacos plásticos leves, utilizados em média apenas por 25 minutos, podem permanecer no ambiente mais de 300 anos e constituem um risco significativo para as aves e animais marinhos, que muitas vezes confundem sacos de plástico com alimento. Os sacos plásticos leves representam ainda um problema grave em termos de poluição marinha, já que 70% do lixo marinho tem origem no plástico."

Se Portugal "chegou a atingir as 466 unidades por pessoa", quantas "atinge" agora?

Em 2011, os norte-americanos chegavam a "mais de 500 por consumidor" - estávamos assim tão próximos?

"Remember that each person uses about 83 bags a year. If there are four people in your family, that's 332 plastic bags less every year."

E os 300 anos, surgem de onde? Daqui? "Too many plastic bags is a great waste of natural resources," retired Communist Party cadre Liu Zhidong says through a translator. "When burnt, they produce poisoning smoke, and if buried underneath the ground they need more than 300 years to be degraded."

Cada um revela os números que quer e neste estudo, por exemplo, as conclusões apontam a falta de testes normalizados...

Na realidade, esta questão é ambiental ou para poupar na importação de petróleo, algo que o Governo não quis assumir? Por exemplo:
- Besides cutting back on litter, Ireland’s tax has saved approximately 18 million liters of oil.
- China Sacks Plastic Bags: Ban could save 37 million barrels of oil and alleviate "white pollution"

Porque, se é uma decisão ambiental, não se explica como estão isentos os seguintes sacos de plástico leves: ...
c) Sacos expedidos ou transportados pelo sujeito passivo para as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira;
d) Sacos sem alças, disponibilizados no interior do ponto de venda de mercadorias e produtos, que se destinem a entrar em contacto, ou estejam em contacto, em conformidade com a utilização a que se destinam, com os géneros alimentícios...
e) Sejam utilizados em donativos a instituições de solidariedade social.

Portanto, um espertalhaço vai ao supermercado, diz que os sacos são para levar para os Açores, Madeira ou para uma ISS, e não tem de pagar os 10 cêntimos por cada um. Estou errado ou isto é feito mesmo de propósito?...


Sem comentários:

Enviar um comentário