07 julho 2016

À atenção dos jornalistas com blogues - a Comissão que nada tem a ver com blogues pessoais acha que sim por razões profissionais



Uma deliberação da Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ), emitida a 19 de Abril e a que ninguém obviamente ligou, atira-se à "actividade promocional através de blogues".

A coisa parece de somenos mas é razão suficiente para a CCPJ não estar a revalidar a carteira, sem a qual um jornalista não pode trabalhar. E paga para isso: para trabalhar e para a CCPJ funcionar.

Comecemos com um exemplo. O fotógrafo Joel Santos faz esta belíssima publicidade para um hotel, com imagens do Douro e Côa - e aquilo é muito mais do que publicidade (enfim, é opinião e vale o que vale).

Mas, neste blogue, eu não a posso revelar. O mesmo seja dito sobre todas as mensagens publicitárias que aqui coloquei sob o título "Pub da boa", em muitos casos de marcas que nem sequer estão presentes em Portugal!

Não o posso fazer, num blogue e mesmo não sendo pago pelas marcas!

Porque a CCPJ considera na sua fantástica deliberação que "constitui actividade incompatível com o exercício da profissão a da elaboração ou difusão, por jornalistas, de mensagens publicitárias ou promocionais de marcas, produtos ou serviços, ainda que de forma dissimulada, e inseridas em blogues pessoais ou colectivos, através de texto, imagem ou voz".

Qual a razão desta... coisa?

"Vimos assistindo, nos últimos tempos, ao lançamento de blogues por parte de jornalistas, nos quais estes resvalam para a actividade promocional de marcas, produtos e serviços, caucionada pela sua qualidade profissional".

A CCPJ pega numa lei de 1999, com uma alteração de 2007, e eis que em 2016 acorda para o assunto!

Para ela, "o jornalista não pode assim praticar actos ou desenvolver acções que possam beliscar ou comprometer a sua independência, porque ferem o valor nuclear da credibilidade".

Totalmente de acordo mas...

Em vez de tratar caso a caso os casos dos jornalistas que, usando "a sua qualidade profissional", arrecadam lucros com a publicidade nos seus blogues, a CCPJ é mais inteligente: nenhum jornalista pode falar de publicidade em blogue pessoal.

Bravo!

Eu entendo que a alternativa (penalizar os infractores) dá muito trabalho - mas esta é a mesma Comissão que autorizou em 2007 Judite de Sousa a fazer publicidade, por exemplo, ou a admoestou em Outubro de 2013 por estar há um ano sem carteira profissional. (a questão aqui não é com a pivô da TVI, obviamente).

E é a mesma CCPJ que não investiga os casos de jornalistas que "vendem" produtos, serviços ou pessoas quando escrevem ou emitem programas televisivos ou radiofónicos sobre publicidade ou com novidades de marketing de empresas ou de políticos, na promoção da venda de jogadores de futebol ou de políticos, na análise de produtos tecnológicos ou de campanhas políticas.

E é a mesma Comissão que tanto protege a lei que não critica os jornalistas, nomeadamente na televisão, que devem "abster-se de recolher declarações ou imagens que atinjam a dignidade das pessoas".

Em resumo, um jornalista que quer renovar a carteira, tem de ter cuidado com o que coloca no seu blogue pessoal. Nos meios de comunicação social, pode fazer tudo o que bem lhe apetecer.

Sem comentários:

Enviar um comentário