06 maio 2016

Tom Waits - For No One


Tom Waits performed in 1978 live at the La Brea stage in Hollywood, photographed and rotoscoped.

The original live action was shot with 5 cameras - 2 high, 2 low and one hand held.. shot by Dan O'Dowd and crew.

The music from "The One That Got Away" blared in the background as Tom sang the lyrics.

Donna Gordon is the dancer performing as the stripper, 6 takes and 13 hours of video footage were edited to make a 5 1/2 minute live action short which we turned into animation.

A total of 5,500 frames were captured, re-drawn, inked and painted by hand onto celluloid acitate to create this film.

Produced by Lyon Lamb Video Animation Systems and directed by John Lamb, the film bore some cool new technology and talent - and was created specifically for a burgeoning video music market that didn't yet exist and arguably may be the first music video created for the MTV market.

However, a series of unfortunate events prohibited the film from ever being released or sold commercially, consequently catapulting it into obscurity.

In 1979, an Academy Award was presented to Lyon Lamb for the technology used in this short. [da descrição do vídeo no YouTube]

30 abril 2016

Não percebo nada desta história de Botton/Eurobarcelona no Expresso/Observador


Cronologia:
Dezembro de 2004 - Eurobarcelona é criada por Filipe de Botton, Alexandre Relvas e Carlos Monteiro.

21 de Novembro de 2007 - Eurobarcelona comprada pelo GES, com parcela de 90% através da Heydell Real Estates SA, representada por José Carlos Castella (controlador financeiro do GES). Restantes 10% comprados por Caetano Beirão da Veiga.

"Filipe Maurício de Botton tinha 1670 euros dos 5000 euros com que fora constituída a Eurobarcelona. E em 2007 vendeu uma quota de 500 euros a Caetano Espírito Santo Beirão da Veiga e outra quota de 1170 euros à Heydell Real Estates, SA, com sede em Tortola, nas Ilhas Virgens" (mas com endereço de correspondência na Mossack Fonseca).

Final de 2007 - Botton, Relvas e Monteiro deixam de ter participações na Eurobarcelona.

2009 - Heydell fica com totalidade da Eurobarcelona (compra a Beirão da Veiga, que diz "não se recordar dessa empresa").

30 de Abril de 2016 - Filipe de Botton negou ao Observador ter feito o negócio com a offshore do GES e Expresso divulgou certidão na Mossack Fonseca sobre a Eurobarcelona.

Botton explicou que a Eurobarcelona pretendia um prédio da Fundação Sardinha mas "foi nessa altura [2004? 2007?] "que surgiu a Espart, que se mostrou interessada e conseguiu adquirir o imóvel à Fundação Sardinha”. (Pesquisar pela Espart dá num redireccionamento para a Espírito Santo Property).

O que é estranho é que a 20 de Março de 2009, num outro registo legal (ver imagem acima) - e que não é citado pelos jornais ou TVI mas foi registado por uma advogada com endereço de email a terminar em @espart.pt) -, revela-se que Beirão da Veiga renuncia à gerência, sendo nomeado "gerente único" Carlos Monteiro.

Em paralelo, e não procurando muito, Beirão da Veiga e Carlos Monteiro tiveram negócios em conjunto e/ou em paralelo, quer na Fundinvest como na Invesfundo V - ambos geridos pela Gesfimo (grupo Espírito Santo).

E o Expresso "atira-se" aos financiadores do Observador Botton e Relvas, de forma tão frágil, e "esquece" os outros do grupo Espírito Santo? A sério, não percebo.

[actualização, da TVI: "das investigações por nós realizadas, Filipe de Botton e Alexandre Relvas não têm, nem tiveram, offshores que constem da listagem da Mossack Fonseca como a notícia poderá levar a concluir." e do Expresso: "A notícia está totalmente correcta mas o seu tratamento semelhante a outras notícias diferentes, em que empresários identificados detinham mesmo offshores, poderá induzir em erro e conduzir a uma interpretação incorrecta."]

A história dos EUA com Cuba