23 setembro 2005

VITAMEDIAS

Sobre este assunto do Expresso, TAP e telemóveis, o Blogouve-se levanta questões pertinentes.
Resumidamente, no que me toca:
Não sei se o Expresso errou ou não na sua edição semanal. Era notícia, claro, mas não foi isso que me levou a contrastar aquelas diferenças de tratamento envolvendo empresas, uma nacional e outra britânica.
Apenas brinquei com o "choque tecnológico" e a inovação que alguns querem vender e em que certos medias embarcam. Por isso a coloquei na secção "Tecnosfera" (tecnologias e afins) e não nas "Vitamedias" (comunicação social) deste blogue.
Porque se o fizesse, teria de lembrar que o Expresso Online, no dia anterior ao que escrevi, renovou a mesma notícia a partir de um comunicado de imprensa da TAP mas voltou a omitir a bmi. E bastava ler os "press releases" da OnAir desse dia e muita outra imprensa (o anúncio teve bastante impacto por ser inovador na Europa) para ver como ambas eram citadas nesse dia.
Portanto, no campo dos media, se não acredita que "O Expresso sabia que a TAP não era a única a nível mundial a testar e ignorou esse facto?", na edição semanal, já não sei o que dizer após o dia 20. "O Expresso não sabia que afinal havia outra? (É possível)"
É, claro, mas ou é incompetência ou desconhecimento. É jornalismo? E "Se não sabia e errou irá rectificar esta semana? (É desejável)". Vamos ler.

Em resumo:
- o texto no CF&A visava a tecnologia e não os media (até porque nesse dia outros meios nacionais cometeram o mesmo erro, engoliram o que lhes foi dado sem questionar nada - e já não estavam apenas a citar o Expresso, como sucedeu entre sábado e quarta-feira);
- o texto era posterior à divulgação pública do acordo que era, sem qualquer dúvida, notícia e quando já tinha ocorrido alguma evolução que permitia clarificar a notícia do semanário.

Também por isso, duas questões:
- porque omitiu a notícia do Expresso Online de que "Companhia portuguesa será a primeira do mundo a testar comunicações em voo", como se escrevia no sábado e encolheu para "os passageiros da TAP que viajem na Europa", algo que já era dito na edição em papel (!)?
- se "a OnAir tem já serviços a bordo de voos de longo curso em transportadoras", como é que ninguém questionou a importância - a existir - da TAP e da bmi só agora quererem adoptar esta tecnologia?

Sem comentários:

Enviar um comentário