16 fevereiro 2013

SPA e Grândola



Está a Sociedade Portuguesa de Autores mais preocupada com a lei da cópia privada do que com os seus autores - e José Mário Branco, em particular - ou vai mesmo requerer direitos pela execução pública de "Grândola Vila Morena" na Assembleia da República?

Segundo a Wikipedia, "a canção foi incluída no álbum Cantigas do Maio, gravado em dezembro de 1971, disco que conta com os arranjos e direcção musical de José Mário Branco. «Grândola, vila morena» é a quinta faixa do álbum, gravado em Herouville, França entre 11 de outubro e 4 de novembro de 1971", por José Afonso. Por isso, o direito dos autores ainda está em vigor.

Segundo a lei, "Quando um fonograma ou videograma editado comercialmente, ou uma reprodução dos mesmos, for utilizado por qualquer forma de comunicação pública, o utilizador pagará ao produtor e aos artistas intérpretes ou executantes uma remuneração equitativa, que será dividida entre eles em partes iguais, salvo acordo em contrário".

O movimento "Que se lixe a troika" assumiu o canto e "explicou aos jornalistas que se tratou de uma ação simbólica para relembrar aos deputados que "é o povo quem mais ordena"."

Já houve "acordo em contrário"?

Sem comentários:

Enviar um comentário