31 julho 2007

Vale a pena ler tudo mas aqui vai o essencial:

FERNANDO CHARRUA MENTIU E PARECE QUE NINGUÉM REPAROU: Se é verdade que o seu processo disciplinar é inadmissível e preocupante, não é menos verdade que o despacho de acusação - cujo conteúdo, sublinhe-se, não foi contestado nem por Charrua nem pela sua advogada - é claríssimo e desmente a versão que o professor sempre fez passar aos media - a de que se teria limitado a dizer uma piada sobre a licenciatura de José Sócrates. Chamar "filho da puta" ao primeiro-ministro (a frase exacta é: "somos governados por uma cambada de vigaristas e o chefe deles todos é um filho da puta") não é uma graçola inocente - é um insulto a Sócrates e à sua mãezinha.

Trânsito no Google


Para já, o Google Transit funciona em nove estados norte-americanos e no Japão.

História de marcas


The History of Branding
[a propósito, Sobre o culto das marcas, nº 1: em busca da liberdade.]

Ligações

Web Trend Map 2007 Version 2.0: The 200 most successful websites on the web, ordered by category, proximity, success, popularity and perspective.

Relógio do mundo

World Clock: This World Stats Counter shows current statistical figures for world population, births, deaths, deforestation, and much more. Except for population and earth temp, all stats reflect the growth since the beginning of the selected time period. You can choose to show growth since the beginning of the year, month, day, or from the moment you click the Now button. All figures represent World stats except divorces (world estimates were not available) and illegal immigration (mostly a US issue and also unavailable worldwide).

Para animar os dias

30 julho 2007

Nus



Models Become Walking Canvases at Bodypainting Festival
: Naked models were turned into an artistic medium at the fourth German Bodypainting Festival this weekend.

Depois dos cigarros, o vinho. Depois...


Disney backs out of wine promotion: Walt Disney Co. said Friday that it had abandoned the wine business — even before its first bottles of Ratatouille Chardonnay were scheduled to hit the big-box store's shelves in August.

Aqui mesmo ao lado

Los políticos pisan la blogosfera: El 9% de los diputados del Congreso tienen su propia bitácora
La diputada socialista Lourdes Muñoz, muy implicada en el mundo de la blogosfera, ha puesto a disposición de los internautas en su página personal las estadísticas sobre los miembros del Congreso que disponen de diario virtual. Los datos colgados por Muñoz muestran que 30 de los 350 diputados de la Cámara Baja ya disponen de un espacio personal, lo que supone el 9% de los parlamentarios del Congreso, un porcentaje inferior, según la misma fuente, al 36% que alcanza el Parlament catalán.

Guia para a Web 2.0 e não só

Journalism 2.0: How to Survive and Thrive - A digital literacy guide for the information age [via]

27 julho 2007

Só?

There Are 12 Kinds of Ads in the World: The 12 Kinds of Ads

Em revista

Who Still Reads Magazines? Just About Everybody - Deloitte Media-Consumption Study Finds User-Generated Content Also Spans Generations
The consulting and advisory firm found that every generation -- from young Millennials (ages 13 to 24) to Generation X (25 to 41) to Baby Boomers (42 to 60) and older Matures (61 to 75) -- enjoys reading magazines. Almost three-fourths of all consumers choose to read them even though they can find the same information online. There is also a greater receptivity overall to print ads compared with internet ads, the firm found.

26 julho 2007

Coisas que (não) fascinam

O aproveitamento político e mediático de uma história que era conhecida há anos, sem que quase ninguém mexesse uma palha. Depois, vão a correr dizer: fui eu, fui eu...


Legenda: European Union External Affairs Commissioner Benita Ferrero-Waldner and Cecilia Sarkozy, wife of French President Nicolas Sarkozy, were also on board. They had met with Libyan officials over the past few days to help secure the release of the six medics.

Isto foi um discurso

George Bush discussed the war on terror: The President: ----- --- ---. ------ -- ------. ----- ---, -------. ------ --- --- ----------- --- ---- ------------. -'- ----- -- -- ---- --- --- --- ----- -- --- --- -----, --- ----, --- -------, --- ---- --- --- ----- -----. ------ --- -------. ------ --- ------- --- ------- -- --- ------ ------ -- -------.
- ---------- --- ---------- -------- -- ---- -----, ----- -----. ------ --- ------, --------. -'- ----- -- -- ---- ---- --- ------- -- --- ----- -- --------------- --- ----- --------, ----- -------------- ----- -------. --. -------, ------ --- ------….
…----- --- ------- -- September 11th, 2001, --- ------ -- ---- ---------- ---- -------- ------ --- ----- -- ------- -- --- --- -- ------. ------ --- ---------- -- -----------, --- ----- ---- ---- ---------- ---- -------- -- ------- -- --------- ------ --- ------- --------, --- ---- --- ---------- -- -- ------- ------.
---- ---------- -- ------- - ------- ---- -- Iraq. ----- --- ----- ---- --- ---- ---------- -------- ---- -- ----- -------- --- --- ------ -- --- ----- -----. ---- ------- --- ------ ----- --- ---'-- -------- -------- -- ---- -------. ----- ------ -- ---- ---------- --- ---- ----- -- - ----- ------ -- --------------. --- ------- -- -------- --- ---- ------- -- --- ----- -- -------. --- ---- ------- -- ------.
------ --- ----- ----- --- 9/11 -------, ------- ------- - ------ -- ---. --- --------- ------- ---- -------- -- ---- --- -- ---------- -- ------ --- ------- -----, --- -- ---- -- ---------- -- --- ----- -- ---- ----. - --- ------ -- September 11th -- ---- --- ---- --- -- ------- ------- -- -- -- -- --- -------, -- ----- --- ---------- -------- -- -- ---'- ---- -- ---- ---- ---- -- ----. --- ---- -- ------- ---- --- --- --- ----- -- ------- --- ----- ------ --- -----.
--- --- ------- -- ---- ------ --- -- Iraq. --- ------ --- ------- ------- -- ---- -------. ----'-- -------- -------- -------, --- -- ----- -- ---- -------- -- Iraq ---- al Qaeda. ---- ---- ------- ------- ---- ------- -------; ---- ------ -------- -------- --- ---- ------ -------- ------. ---- ---- -- ----- ---- Iraq'- --------- -- ---- --- --- ---- ------ -- - --------- ---- ----- --- ------- ------- --- -------. -- --- ------ --- -------- ------ ---- ------ -- ------- Iraq-- --- ----- --- - ------ -- -----, --- ---- -- --- --- -------- -- Iraq --- --- ------ -- -------- --------.
-----'- - ------ -- ---------- ----- Iraq, --- ------- ----- ---- - ------- ------. -----'- ---- - ------ ----- al Qaeda- ---- -- Iraq. ---- --- ---- Iraq -- --- ---- -- --- ------- --- -- ------. ---- -------- ---- - --- ---- --- al Qaeda ---------- -- ---- -- Iraq --- ---- -- --- ---- ----- ---- -------- -- -- September 11th, 2001. ---- ----- ---- --- ------------ ------ al Qaeda -- Iraq -- -- Iraq- ----------, ---- --'- ----------- -- Osama bin Laden--- ---- --'- --- ---------- -- --------- -------.
--------- ------ -. ----, ------ -- ----- -------- ------- ------- ------, ------- -- ---- -------- --------- ------- ----- ------- ---------- ------ - ---- -------- -------, ---- --, ----, ------ - ----- -- ---------- --- -- ----------, -.-. ----- ----- ----- -- ---- ------ ---- ----- -- ---- -- Osama bin Laden. --'- ---------- ---- --- "----- ----- --- -- ------ -- Iraq." Osama bin Laden----, "--- --- -- --- --- -- --- -- -- ---. -- -- --- --, -- ----- ---- ------ --- -------- -------." - --- ---- ----- ---- -- - --- ------ -- Iraq --- -- ---- -- --- ------ -- al Qaeda. (--------.)
----- - ---- -------- --- --------- -- ----- --- --- ---- al Qaeda --- al Qaeda -- Iraq --- -------- --------. - ---- ------- --- ---- --- ---- ---- -- --- ---- --------- ------- -- --- --- ---- --- --------- -- --- -------.
- ---- ----- -- ----- -- ---- ---- ----- -----: al Qaeda -- Iraq --- ------- -- - --------- ---------, --- -- Iraq-. --- ---- --- --- ----- -- -------. ------ 9/11, -- --- - --------- ---- -- -----------. -- --- --- --- - ------ -- al Qaeda, --- --- ------------ --------- ------- ---- -- --- ------------ --------- ---- ------ al Qaeda -------, ---- -- --- --- ---- Osama bin Laden--- --- ----- ------, --------.
-- 2001, --------- ------ --------- -------'- ------ -------- ----, --- -- ---- --- ------- --- -- ---- -- Iraq, ----- -- --- -- ---------- ---- --------- ---------- ---- ------ --- ------- -- --------- ------. -- --- -------- --- ----------- --------- ------'- ----, ------- --- ---- -- ------ ------------ --- ----, -----, --- --------- -- --- ---------. -- ----, ------- --- --- --------- ----- -------- ------ al Qaeda, ------- ---------- -- Osama bin Laden, --- -- -------- -- "------ --- ------ -- -----."
---- -----, --- ----- -------- -------- ---- ------- --- --- "------ -- al Qaeda -- Iraq" -- --- ---------- ---------- -- Iraq -- "------ -- --- --- ---- ---." --'- ---- -- ----- ---- al Qaeda -- Iraq -- -------- ---- --- -----'- al Qaeda, ---- --- ------ -- al Qaeda -- Iraq ---- -- ---- -- ---------- -- Osama bin Laden.
--------- -- --- ------------ ---------, --- ----------- ----- ------ ---- al Qaeda -- Iraq -- ----- -- "-------- ----- --------- -------- --- ----------." --- ------ ---- ---- al Qaeda- ------ ---------- -- ----- -- "- -------- -- Iraq -- ------ --- ---------- -------- ... -- ---- -------- ---------- ... --- -- ---- --- ---------- -- --- ----- -- Iraq -- ------- ------ -------- ------- ---------." --- ------ ------- al Qaeda --- --- Iraq- --------- -- -- -------- -- ------- -- --- ---- -- --- --- ------ -------- -- --- ----- -- -- ----- -----.
--------- ------ -. ---- --------- --- ------- -- -------- --------- --- ----- ------ -------, -------- ---- --- ----- -------, -- - -------- -------, ---- --, ----, ------ --- ---------'- ----- -- ---------- --- -- ----------, -.-. ----- ----- ----- -- ---- ------ ------- --- ------ -- -.-. ------ -- ---- ----. -- --- -------- -- ------- --------- -- -- -------- ----- --- ----- --------. --- ---- -- --- al Qaeda ------ ---------- --- ---- --- ------------. -- --- ------------ ---- -------- --- ---- ---- --- -------. --- ------ 9/11, -- ----- ---- ---- al Qaeda -- ----------- ----- -- ------ ------- -------------- ------ -- al Qaeda- ------- --------.
----- --- ----- ---- ---- al Qaeda- Iraq- ---------- ---- ----, Osama bin Laden---- - --------- ------ ----- --- ------- -- Iraq- -- ---- ---. --------- -- --- ------------ ---------, ---- --- --- - ------ ------- -- --- -----, --- ------ -- --- --- --------- -- -----------. --- ------- ----- ---- -- -- Iraq. -- --- --------, --- --- -------- ----------- -- --- -.-. ----- ---- -- ---------- ---. --- ---- ---- --- ----- ------ ------- --- -- --- ---- ------ ---------- -- Iraq ----- --- ---------- -- ------ -- ------- -- al Qaeda- Iraq- ----------.
--------- -- --- ------------ ---------, ---- -- al Qaeda -- Iraq'- ----- ------ ------- --- ---- ------- ----------. ---- ------- - ------ --- -- al Qaeda -- Iraq'- ---- -- -------, - ----- --- -- al Qaeda -- Iraq'- --- --------- --- ----- -------, -- -------- --- ------ -- ----------- -- --- 1990- --- --- --- --- ---- Osama bin Laden, - -------- --- -- ------- ----- - --- ---- -- -------- ------- --------. ---- ----- -- Iraq, -- ------ - ------ al Qaeda ----------- ----- ------ ------, - ------- -------- --- ------ ---- al Qaeda -- -----------, --- --- ---- --------- --- 11-- ---------- ------ ------ --------, --- ----- ------ al Qaeda -------.
- --- ----- ---, -- -------- - ------ al Qaeda -- Iraq ------ ----- ---------. ---, ---- --------- -- -- Iraq-. -- ----, -- --- --- ------- ------- Iraq- -- --- ------------. ----'- ---- -- ----, ----'- ---- -- ---- --: --- ------- ------- -- al Qaeda -- Iraq ---- -- ------------- ------- -- ------- --- ------- ---- al Qaeda -- Iraq -- -- Iraq----- ---------. -- ---- al Qaeda ---- ------- - ---------- ---- ---- ----- ---- -----------. --- ------- --- -- ---- Iraq- -------- ------- ---- ---- --------- --- ------ -- -- Iraq- ------- -- - ---------. --- ---- -- -------, --------- -------- ---- ----------- -- ---- -- -----. -- --------- --- ------------ ---- ---------- --- -- --- --- -------- -- al Qaeda -- Iraq -- ---- --- --- ------- -- --- ---- ------- ------- ---- ---- -- --- ----------- ---------, --- Iraq--.
------- ---------- ---- ------- --- ---- -- --- ------- -------- -- Iraq. --- -------- --------- ---- ------- -- --- -- ------- -- ------- ------- -- Iraq --- ------- --- -- ------------ al Qaeda ----------. --'- ---- ---- ----- ---- -- al Qaeda -- Iraq'- ---- --- ---- -------- --- ---- -- --- ---------- --- Iraq-. --- -- ----- ----------- -- ---- ------ ---- -- -- ------ --- ------ -----: al Qaeda -- Iraq -- - ----- ------- -- ------- ----------, --- ------- -- ------- ----------, --- ----- -- - ------- --------- ------ -- Osama bin Laden. ---- ---- ----'-- al Qaeda. --- Iraq- ------ ---- ---- --- al Qaeda. ------ ------ --- ------ ----- ---- ---- --- al Qaeda. -----'- - ---- ------ ---- --- ------ 'Al Qaeda -- Iraq.' They are Al Qaeda. And they are in Iraq.
--------- ------ -. ---- ------ ---- ------- ---- -------- --------- -- - -------- -------, ---- --, ----, ------ --- ---------'- ----- -- ---------- --- -- ----------, -.-. ----- ----- ----- -- ---- ------ ---- ---- ------ ---- al Qaeda -- Iraq -- - -------- ------------ ------- al Qaeda- ------- ------- ----- ---- ----------- ------- ---- --. ---- -------- ------- - ---- -- -------------. ---- -- --- al Qaeda- ------ --------- ------- -------- --------. al Qaeda --- --- --------- ------------- --- - ----- ------- -- --------- ------ ---- --- ------ -- - ------ -------- --- ------ ----------, --- ---- --------- ------ -- ------------- ---- --- al Qaeda ------ ----------. -- ---- -----, ----- ------ ---- -------- ------ ---- al Qaeda --- ---- ---- -- ------ - "------" -- - ------ -- ------- -- Osama bin Laden. -- ----- -----, ------------- --- --- -------- ------ ---- al Qaeda, --- ----------- ------- ---- al Qaeda ------- -- ---- ------- --- ------- ----- ------ --------. -- ----- ----- -----, ----- --- ----- ----- -- ---------- ---- --- --- ---- -- al Qaeda -- --- ----- ------- --------- -----, --- -------- ------- ---- al Qaeda ------- --- --- -------- -- --- -------- -- ------- -------.
--- ------------ --------- -------- ---- al Qaeda -- Iraq ----- ---- --- ----- -- ----- ----------. ---- --- - ---- ------ -- --- al Qaeda --------- -------. --- al Qaeda ---------- -------- --------- -------- -- ----- Iraq- ----------. ---- --, ----- ---- ---- ------------- -- --------- ------------- -- ------- --- -------, Osama bin Laden--- ----- Iraq- ------------, --------- --------'- --------- -- -------'- ---------- ------- -- --- ----. --- --- ------------ --------- ------- ---- al Qaeda- ------ ------- --------- ----- -- ----- Iraq------- ---------- ---- -- ----- -- -------- ----------, ------- -------- --- -------- -------- -------- ---------- ------- ---------.
--- ------------ --------- --------- ---- -- ----- -- "al Qaeda --- --- -------- ---- -- Iraq --- ------ -- ----- ----------- --------." --- ---- --- ---- al Qaeda ------ ------- --- ----- ---------- -- Iraq -- ----- -- "--- al Qaeda -- Iraq -- ---- -- al Qaeda- ------------- ----- -- -------, --- -- - -------- -----."
--------- ------ -. ---- -------- --- ------------- ---- ----- -- -------- ------ ---- --------- -------, ---- --, ----, ------ -- ---------'- ---, -----; ----- -------- ------- ------- ------, ----, --- --------- ------ ------ --- ------, -----, -- --- ---------- --- -- ----------, -.-. ----- ----- ----- -- ---- ------ ----'- --- ------ ----: al Qaeda -- Iraq -- --- -- ------- ------- ----- -- Osama bin Laden. ---- --- -----, ---- --- ------------ ------- --- ------ --- -------- -- ------- al Qaeda- --------- ----------. --- ------- --- --- --------, ---- ---- ---- --- ---- al Qaeda -- Iraq -- --- ------ al Qaeda -- --- --- ------ - ------ -- -------. ----, ----'- ---- -------- - --- ---- ---- - ---- ---- - ---- --- - ---, --- ------ --'- -------- ---- ----- -- ---- - -----.
--- ----- ------ --- ---- -- ---------- ------ -- ------ ---- ----------- ----- --- ----- -- Iraq. --'- ------- ---- ---- ---- -- ---- --- -------- ------- --'-- --- -------- --- -----'- al Qaeda -----, ---- --- ----- --- ------ -- Iraq -- - ----------- ---- --- ---- --- -- ------. -- --'-- --- -------- --- -----'- al Qaeda, ---- --- ----- ---- --- ------ --- ---- --- -- Iraq --- --- --------- --- ------- -- --- --- -- ------. --- ------- ---- ---- -- ---- --- -----. -- --- -------- --- -----'- al Qaeda -- Iraq; Iraq -- ------- -- --- --- -- ------; --- ------- ---- -----, ------- --- ------ ------- ---- ---- -------- -------. (--------.)
----- --- ------ --- ------ ---- al Qaeda -- --------- -- Iraq, --- --- --- ---- -- ----------. al Qaeda -- --- -- --- ------- ----- -------- ------ -- Iraq. --- --- ------------ --------- -------- ---- al Qaeda -- --- ---- --------- -- ----- ----- -------- ------ --- ------- -------: -----, ---- ---- --- ----- -----, al Qaeda -- ------ ---- -- --- -----------, ------------- ------- ---- --- --- -- ---- -- -------.
------, ----- al Qaeda ------- --- -------- -- ---------- --------- --------, -- --------- ---- -- ----- -- -------- -------- ------- ---- ------- ------ -- ---- al Qaeda- -----.
-----, al Qaeda -- --- ---- -------- ----- -- Iraq ---- ------ --------- -- ---- --- ------- - ---- --- ------- ------- Iraq. --- -------, al Qaeda -- Iraq ---------- ---------- --- ------ - ------- --------- -- ------. -- ------- ----, ---- ---- ---------- -- ------ ----- ---- --------- -- ------ - ------ ------ -- -.-. ---- ----- -- --- --- ---.
--- ---- --------- --- --- ------ --- ------ -- --- ----- -- Iraq -- ----- --, al Qaeda -- Iraq ------ Osama bin Laden'- ---- -- ------ Iraq - ---- --- --- ------- ------- ------, --- ----- -- -- - ---- ----- --- ------- -- -------. ---- -- --- --- ------------ --------- ------- -- --- - ----- -- "-------- ---- [----- ------- ----- -------- ------], al Qaeda -- Iraq ------ --- --- --- ---------, --------- ----------- --------, ------- ----------, --- ------------- -- ---- --- ----- ------ Iraq'- -------."
--- --- --------- -- Iraq, ------- ----- --------, --- ---- ---- al Qaeda -- "------ ----- ------ ---" -- Iraq. ------ --------, ----- ------ ---- ----- ---------- -- --- --- --- ------- --- ----- -- ------ 3,000 ------ -- --- ----. al Qaeda -- ------ ----- ------ --- --- --- Iraq- ------; al Qaeda -- ------ ----- ------ --- --- --- -------- ------. --- ---- -- ---, --- --- -------- -- --- -------, -- ---- ---- -- --- ----, --'-- ---- ---- ---- -----, --- -- ---- ------ ---- ----- ---- ---- ---- ----- -----. (--------.)
---- ---- ---- al Qaeda -- Iraq --- --- ----- ----- --- -.-. -------- -- --- ----- ---- -- -- - ------- -- --- --- ------. --- -------- ------- --- ------ ----- ---- --------- -- ------ -- -------- -------. Iraq -- --- --- ------ ---- --- ---------- --- -- --- ---- --. -- ---- --- -- Iraq ---- --- ---------- ------ --- ----- ----- ------ -- 1993. -- ---- --- -- Iraq ---- ---- -------- --- --------- -- ----- --- --------. -- ---- --- -- Iraq ---- ---- -------- --- --- ---- -- ----. --- -- ---- --- -- Iraq - September 11th, 2001.
--- ------ -- ------ ------ ------- --- --- ----- --- --------- -------- -- --- ------- ---------- ---- Iraq ----- --- --- --. --- al Qaeda ---------- --- ------- ---------- -- -- Iraq --- --------- ---------- --- ---- ---- ------- --- -------- --- ------- -- ----- -----. ---- --- ---- -- - ------- ---- --- -------- ---, -----, --- -------- -- ------ --- ------; ----------- ------ ------- -- -------- --- ----------, ------, -------, --- --------- ------ --- -----. -- -- ---- --- -------- ----- al Qaeda ---------- --- ---------- -- Iraq, ---- ----- --- -- ------- ---------- ----- -- ------- --- -------. ---- ----- -- ------ -- ---- --------- --- ----- --------- --------- -- -- -----------, -- ----- ------- --------, -- -- --- ------- -- --- --- ------.
al Qaeda -- -- Iraq -- --- ----'-- ----- --- - ------. --- ------------ --- ------ -- Iraq -- al Qaeda ----- -- - -------- --- --- -------. -- ---- ----- ----------. ---- --- ----- -- al Qaeda- --- --------- -- Iraq ---- -- ------ -- ----- --------- -- ----- -- ---- -- ---- --- ---- ----- -- --- -------- --- ------'- -------. -- -- ---- -- ---- Iraq -- --- ---- ----, -- ----- ----- ---- ---- -- ------- ---- - ---- ----- ----- ---- ----- --- -- ------ --- ------- -- --- -------. --- al Qaeda ----- ---- -------- ------- --- ---------- ------ --- ------ ----- -- --- --------- ------- ---- ----- ---- ------- --- ------ -- ---- -------.
-- -- ---- -- ----- ---- -- ------, --------- -------- -- Iraq ----- -------- ------------, ------- --- -------- -- ---- ----------. -------- ----- ------ --- ------ ------ -- -----, --- -- ----- ---- ---- - ------ ---- --------- -- ------- ---------- --- ----- ------ ------- -------, --- --- ----- ------- -- --- --- -------- --------- -- -- ---- --- ------- -- --- ------.
--'-- ------- ---- --- al Qaeda ---- - ------ ----- --------- -- ----- ---- --- ------ -- ----- ----- --- ----------- -- --- ------- -- --- ------ -- --- -- ---- --- ----- ---- -- -- -- -----. --, ------- --------- --- ----- -- -- Iraq, -- ---- --- --. --- -- --- --- --.
---- ---- - ---- ---, ----- -------- --- al Qaeda- ---- -- Iraq --- --- ------- --- -- ---- -- ----. ----- ----, -.-. --- Iraq- ------ ---- ------ ---- ----- ------ --- ---- ------ ------- al Qaeda. -------- ---- ---- ------ -- --------. ---------- ---- ---- ------ ---- ---- -- --- ---------- -------. --- ------ --- --- ------- -- --------- --- ------- -- ----- -- ----- ----- -- --- -------. --- ----- --- --- ----- --- ------ -----, --- ----'-- ------- -------, --- --'-- ------ --------.
--- --- -------- -- --- --------, --- --- ----- -- --- -----, -- ---- ---- ------- -------- --- --- ------ --- ---- --- --------- ---- ----, -- ---- --- ------ al Qaeda -- Iraq. (--------.)
------ --- ------- -- ---- -- -----. -'-- --------- --- ---------- ------- al Qaeda --- --- Iraq- ---------. - --------- ------------ ---- ------- ----------- ---- ----------. --- ----- --- ---- al Qaeda ---------- ------ --------- -- 9/11, ----'-- -------- -- -- Iraq --- ------ --- -----, --- ---- --- -------- -- ---- --------- ---- -- ---- -----. ----- --- ------- ----------- --- ------ ---- Iraq -- ------- --- ------ -- al Qaeda -- Iraq --- --- ---- -- Osama bin Laden------ --- ----- ------------ -- ---- - -------. -- -- ---- -- ------ ----- ------, -- ----- -- --------- --- --- ----- -- --- ---------- --- -------. -- ---- ------ al Qaeda -- Iraq.
-- ---- ------, --'-- -------- -- --- ----- --- --- ----- ----------- -- ---- ----. ----- --- --- ----- --- ------ -- ---- ---- --- ------ --- ----- -- ------- - ----- ---- -- ---- --- -- ------. ---- ---- -------- ------ --- -------- -- ----, -- ---- -------- ---- ------ ------ -- --- ------- -- --- --'-- ----- -- -------.
- ---- ---------- -- --- -------, --- - ---- ----- -- --- -----, ------- - ---- --- --------- -- --- --- --- ----- -------- ------ --. - ----- --- --- ---- ----------; - ----- --- --- ---- -------. ---'-- ------ -- -- ---- -----: "--- ------, --- -------, --- -----." ----- --- --- --- --- --. --- ----- ---- --------. --- ----- -------. (--------.)
(via Bush's latest speech on Iraq (Osama bin ladin did it))

25 julho 2007

Ilusão óptica

Escritórios

Jornalistas e tribunais (nos Estados Unidos)


Journalists’ Privilege to Withhold Information in Judicial and Other Proceedings: State Shield Statutes
Testimonial privileges are generally granted by common law or by statute; these include the lawyer-client and the doctor-patient privileges. There is also one testimonial privilege expressly granted in the United States Constitution: the Fifth Amendment’s guarantee that no person “shall be compelled in any criminal case to be a witness against himself.”
Absent a statutory or constitutional recognition of journalists’ privilege, a reporter may be compelled to testify in legal, administrative, or other governmental proceedings. [...]
The journalists’ privilege is distinct from other recognized privileges in that it vests only with the journalist, not with the source of the information.
In Branzburg v. Hayes, 408 U.S. 665 (1972), the Supreme Court ruled for the first and only time on a claim of journalists’ privilege. It held that journalists have no constitutional privilege to refuse to testify before a grand jury, unless the grand jury investigation was “instituted or conducted other than in good faith.” Id. at 707.
The court reasoned that the public’s interest in prosecuting crime outweighed its interest in journalists’ being permitted to preserve their confidential relationships.

[negritos meus, imagem via]

24 julho 2007

Estas são fáceis:

Não se pode.
Sim. Não. Sim.
("Jornalismo", a propósito "disto".)

Rádios, muitas rádios

Tun3r

Porquê dar o "prime time" aos telejornais, por exemplo?

Rather Says Odds Getting Longer for Couric: Dan Rather, who last month accused broadcast networks of dumbing down and tarting up their newscasts, said he can foresee a time when media company executives retreat from evening news production.
“I think we’ll see the time when someone at the top says, ‘We can give this time back to affiliates,’” Mr. Rather said Monday in a discussion with TelevisionWeek Publisher and Editorial Director Chuck Ross at the Cable & Telecommunications Association for Marketing convention in Washington.
Mr. Rather, who now anchors “Dan Rather Reports,” a weekly news show on Mark Cuban’s HDNet, said media executives’ focus on audience ratings and attracting certain age groups of viewers is eroding the quality of the newscasts.

Auto-regulação

News sites 'should show Press Complaints Commission logo': British news websites should display a kitemark to indicate they adhere to Press Complaints Commission (PCC) guidelines, the head of journalism's self-regulatory agency has said.

20 julho 2007

Para testar

40+ Firefox Add-ons for High Speed Blogging

act.: 100 Open Source Downloads

Qual o lugar mais seguro num avião? Não é a 1ª classe...


Safest Seat on a Plane: It's Safer In the Back.

O que tem esta imagem de errado?


A resposta neste "Job nearly done"...

Um país de ventríloquos?

Portugal's Unending Sphere of Influence: An opening statement credits Portugal's 16th- and 17th-century explorations with leading to "the first real interaction among almost all the world's peoples." Yet that interaction was not benign. Portuguese seafarers introduced rifles to Japan, the Inquisition to India and African slaves to Brazil, and most of that is acknowledged somewhere among the exhibit's more than 250 objects.

Portugal en Iberia: En el caso de que la predicción de Saramago se cumpla, algunas peculiaridades se deberían tener en cuenta. En cuanto a la lengua portuguesa, quizá ésa sea la única solución para que los españoles la aprendan. Hoy en día, todo portugués culto puede conversar en español; apenas un puñado de españoles pueden desempeñarse en la lengua vecina. Para los españoles, algunos obstáculos parecen insalvables: por un lado se sienten cómodos al observar la lengua escrita; al oírla, se dan cuenta de que es muy diferente, con un sistema vocálico enriquecido y la desaparición de consonantes en la endiablada velocidad con que desarrollan los discursos repletos de altibajos tonales. Portugal parece un país de millones de ventrílocuos: hablan sistemáticamente con los labios cerrados. De declararse el portugués como lengua obligatoria en Iberia, al nivel del castellano, se habría terminado con este handicap.

Portuguese resent EU as they take its helm: However potent its imperial hangover, the greatest factor weighing on Portugal's mixed attitude toward the EU is its economy, which is severely underperforming other neighboring EU countries like Spain.

According to a recent Eurobarometer poll, support for the EU dropped to 49 percent last year compared with 58 percent the year before but edged up to 55 percent in the first quarter of this year. In 2006, half of the respondents believed the process of European integration undermined the country's economy and contributed to its 8 percent unemployment rate.

While the Spanish economy grew at about 3.9 percent last year, Portugal had the lowest economic growth in Western Europe, about 1.3 percent. Its budget deficit of 3.9 percent of gross domestic product also breaches EU rules requiring countries in the euro zone to maintain deficits under 3 percent.

TV diária

19 julho 2007

Rico puzzle

The Golden Jigsaw is a 1,000 piece jigsaw puzzle. To complete the picture, you first have to find the pieces. And they could be anywhere on the internet!
The first player to successfully complete the puzzle will win $1,000,000.

Oferta para diminuir a pirataria

20 Great, Free, Open Source Downloads: They're free, but that doesn't mean these apps aren't powerful. Created by folks who welcome help and improvements to their work, many of these programs are superior to packaged software.

Salvo seja!

Para quem viu hoje o Clube de Jornalistas na RTP2 (e a sua imensa repetição de opiniões pré-gravadas), a memória de sempre o PS ter tentado controlar a comunicação social - o PSD também mas à bruta foi sempre mais descarado e criticado - ficou patente nas palavras de Arons de Carvalho. Mas o deputado até foi equilibrado: há coisas que não podem ser deixadas aos jornalistas, tal como há coisas em que o governo ou os deputados nem sequer se deviam imiscuir. E então, qual noite de bruxas e sem me querer imiscuir numa decisão de que desconheço os contornos, surge uma informação Vital: "Esta notícia de que um inspector da PJ foi condenado por violação de segredo de justiça mas os jornalistas que o divulgaram foram absolvidos faz lembrar aqueles casos de corrupção (salvo seja!) em que só é condenado o corrompido..."
Vital Moreira parece defender os corruptores. Então a justiça considera que houve "violação do segredo por funcionário" mas os divulgadores dessa violação também deviam ser penalizados? Essa é a nova lógica da liberdade de expressão ou é só por ser sobre o caso Freeport?
Em complemento a esta grande exposição de pequenos interesses, apresento um pequeno excerto de um grande ditador à moda antiga - este sim, vital, para o mundo que nos rodeia (para podermos rir, claro):

18 julho 2007

Mais uma


photoshop of horrors: Here's Our Winner! 'Redbook' Shatters Our 'Faith' In Well, Not Publishing, But Maybe God
(obrigado, António)

[act.: e outra: Amigo de modelo, Photoshop não faz milagre]

Já andámos por estes sítios

Journey of Mankind: The Peopling of the World: Who were our ancestors? From where did we originate? If we came out of Africa, what factors governed our routes? And when? Now finally this interactive map reveals an exciting journey of opportunity and survival, confirmed by genetic science and documented by ancient rock art.

Vale o que vale:

Old Media More Trusted Than New When It Comes To Politics: About three-quarters of [383] people surveyed last month said they look to mainstream media, rather than the Internet, for political information.

Não mexer na dimensão da janela do browser

Circoripopolo

Um valente puxão de orelhas, com as novas tecnologias por fundo


O ministro Augusto Santos Silva recebeu ontem um enorme puxão de orelhas da comissária europeia para a Sociedade da Informação e Media, Viviane Reding.
Na conferência organizada pela Impresa e pela Rádio Renascença sobre os media na era digital, a comissária apresentou as actuais propostas de trabalho na Comissão para o sector mas não deixou de criticar medidas do actual governo português. O ministro responsável pelo sector acabou por fazer um extenso esclarecimento.
A comissária considera que a auto-regulação e a co-regulação devem ser estimuladas para a comunicação social e que "o governo não se deve intrometer na sua autonomia". É "uma regra-base da democracia europeia", insistindo posteriormente que "não posso intervir a nível nacional mas repito: nunca interfira com o conteúdo editorial, o código de conduta é da profissão, não do Governo". E propôs o lançamento de uma Carta da Auto-regulação que poderia ser apresentada a 3 de Maio de 2008, Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. "Mas isso só com a aprovação do nosso Governo da auto-regulação", ironizou Pinto Balsemão, "patrão" da Impresa.
Neste capítulo, a comissária deu o exemplo dos videojogos, indústria à qual pediu um sistema de classificação claro (subestimando desta forma o "Pan-European Game Information" ou PEGI), também para a Internet. "Só se a indústria o não conseguir fazer é que a Comissão age". Também a nova directiva do Audiovisual sem Fronteiras "estimula a co-regulação", referiu.
Dirigindo-se a Santos Silva, explicou que "a Comissão Europeia não se intromete nos assuntos nacionais mas ajudar os 27 países a compreender o que se passa".
No debate posterior, o ministro dos Assuntos Parlamentares esclareceu Reding sobre os pilares que sustentam a liberdade de expressão em Portugal. O primeiro está na Constituição e defende os direitos dos jornalistas (independência ou acesso quase ilimitado a fontes), transparência, respeito pelo pluralismo e pela não concentração de meios - estes últimos ainda "não regulamentados" (algo que só deve suceder na próxima sessão legislativa).
A segunda nota foi sobre o direito dos cidadãos, que a liberdade de expressão deve respeitar, nomeadamente com o direito de resposta.
O terceiro pilar é "o que re-envia para uma autoridade reguladora externa ao Governo", a ERC.
Santos Silva explicou que "somos bons trabalhadores em paralelo" com o que está a ser feito na Comissão Europeia. "Há em Portugal indicadores legais do pluralismo", dado existir uma orientação nos jornais com a participação dos jornalistas (através dos Conselhos de Redacção, por exemplo), a expressão de diferentes opiniões (cuja extensão de obrigatoriedade a todas as correntes de opinião e não discriminação de ninguém o director do Expresso, Henrique Monteiro, se mostrou contra) e, finalmente, a independência dos responsáveis editoriais dos proprietários dos meios de comunicação.
Para Reding, no quadro da concentração de meios e pluralismo - área onde o ministro também vai intervir - existe uma "enorme confusão". Cada um diz o que quer sem entendimento num quadro-comum europeu. E anunciou o lançamento de um estudo independente para definir indicadores padronizados. Será editado no final de 2008 "e espero depois um debate sereno" até Junho de 2009.
A comissária lembrou ainda que o processo de "switch off" da televisão analógica para o digital - e consequente libertação de frequências do espectro - pode provocar um atraso no lançamento da TV móvel, cuja decisão deve ocorrer hoje em termos de adopção da norma europeia, "para ser mundial como ocorreu com o GSM" nos telemóveis. Portugal, cujo calendário aponta para 2012, "pode acelerar" porque "só os países que avancem rapidamente podem disponibilizar a TV móvel" para eventos como os Jogos Olímpicos ou o Euro de 2008. O mesmo se passa com a alta definição "mas isso cabe aos governos decidir".
As constatações da comissária foram claras. Por exemplo, as novas tecnologias têm mais funcionalidades e um preço menor e a interactividade serve para criticar os actuais media e também para produzir media. Ainda são poucos os produtores, concedeu: oito por cento no Second Life e quatro por cento na Wikipedia, do total de utilizadores, "mas é uma tendência que se está a desenvolver" e se deve estimular em nome da liberdade de expressão.
Lembrou ainda que, antes, as empresas de telecomunicações "achavam que podiam produzir conteúdos" mas com os novos media devem existir "acordos entre as partes", os produtores de conteúdos e as telecoms, juntar os novos e os media tradicionais.
"Os novos media serão a próxima geração de media", notou, e quando "todos somos produtores, precisamos ainda mais agora do que no passado de jornalistas", recordou a antiga jornalista. "Há muita informação em muitas plataformas e o cidadão normal necessita que escolham por ele", tanto mais que "não estão habituados a serem responsabilizados" pelos seus conteúdos. Assim, no Outono, vai sair um relatório sobre educação para os novos media, assunto que considerou crucial.
Outra questão coloca-se no campo dos direitos de autor quando "as novas gerações consideram que tudo é grátis" e "os criadores de conteúdos precisam de lucro". Para Reding, "é aqui que o legislador deve interferir, saber qual é o interesse público".
Um equilíbrio especial deve ser tido pelos decisores políticos em caso de atentados à segurança nacional. "Numa situação de crise, o ministro do Interior pode ter mais poder do que o ministro dos Media" pelo que "é necessário equilibrar as posições, não se impedir os jornalistas de fazerem o seu trabalho".
Finalmente, sobre o jornalista multiplataforma que trabalha para vários suportes, foi clara: "é uma questão que deve ser resolvida entre jornalista e patrão, existe a liberdade contratual e a Comissão não vai intervir, seria idiota" fazê-lo.

17 julho 2007

Homer pagão


Homer Simpson vs. the Pagans: A painting of Homer Simpson next to the 17th century giant carved into the hillside at Cerne Abbas, Dorset, in the United Kingdom has angered Pagans who regard the giant as a spiritual icon.
Wish for rain to wash away Homer: The painted Simpsons character has been painted with water-based biodegradable paint which will wash away as soon as it rains.

[act.: ]

Isto é uma vergonha (a ler na íntegra):

Sun Microsystems "sem espaço" na normalização de documentos em Portugal: Em virtude de termos atingido o número de membros da CT que ocupam a sala prevista para acolher a reunião,não podemos, nesta fase aceitar a vossa proposta de integração da CT.

16 julho 2007

Para pensar


Your Gamete, Myself: Using donor eggs for in vitro fertilization is one of the fastest-growing infertility treatments today. But women struggle with questions of maternal authenticity, the ethics of their choice and how, if at all, to talk to their children about their origins.

Para pensar

Young Adults Are Giving Newspapers Scant Notice: In fact, most teenagers and adults 30 and younger are not following the news closely at all, the report, titled “Young People and News,” concluded. It is based on a national sample of 1,800 Americans that included teenagers, young adults aged 18 to 30 and older adults.
Thomas Patterson, a professor of government and the press at Harvard who conducted the survey, said that young people today do not make an appointment with news every day the way older adults do. [...]
“What we found is that what people mean when they say they are engaged in the news has much more of a glancing, superficial basis than anything we would have hoped,” he said. “Young people seemed to think that just listening to the radio in the background was listening to the news.”

10 anitos...


Happy Blogiversary: It's been 10 years since the blog was born. Love them or hate them, they've roiled presidential campaigns and given everyman a global soapbox.[...]
We are approaching a decade since the first blogger -- regarded by many to be Jorn Barger -- began his business of hunting and gathering links to items that tickled his fancy, to which he appended some of his own commentary. On Dec. 23, 1997, on his site, Robot Wisdom, Mr. Barger wrote: "I decided to start my own webpage logging the best stuff I find as I surf, on a daily basis," and the Oxford English Dictionary regards this as the primordial root of the word "weblog."

act.: nem todos concordam: Wall Street Journal Tries to Re-Write Blogging History

Nenhum português

2007 Top 100 Hotels Overall: Asian hotels have consistently received high marks, but this year, for the first time, an Indian property—Oberoi Udaivilas—has grabbed the No. 1 spot.

Resposta a ABC por causa dos Blogues Proibidos

Caro António,
* quando me chama de jornalista apenas para bater na comunicação social em geral, está a ser deselegante;
* quando responde nos comentários do seu blogue apenas e após eu lhe ter chamado a atenção para a forma como pessoas que não leram o livro e seguem cegamente as suas palavras, está atrasado (felizmente houve quem tivesse a lucidez de lhe chamar a atenção para isso);
* quando comete erros factuais de nem sequer saber a página que cita para consubstanciar ideias suas, mostra como tresleu o capítulo sobre o DPP;
* quando me acusa de ter assumido um "ângulo contrário", era bom que revelasse quais os ângulos em causa;
* quando afirma que o "livro contém erros e afirmações manifestamente falsas" mas não as especifica, tanto mais quando muitas foram retiradas do seu blogue sem qualquer mutação de contexto, está a ser ligeiro;
* quando me acusa de "incoerências" quando, mais uma vez, eu explico a sua posição sobre o assunto, está a desvirtuar as minhas palavras.

Nestas omissões e confusões, houve quem percebesse as suas falhas, tanto que tem uns 30 comentário sobre este assunto e - como exemplo - mais de 230 sobre o pronunciamento episcopal. Não resisto a citar o seu leitor António Barros que escreveu acertadamente: "De tão acostumado a somar inimigos, não leu de certeza calmamente o texto sobre o seu blogue no livro que critica (claro que aqueles que acima correram logo a dizer "amén, matem o mensageiro", nem para uma folha do livro devem ter olhado...), é que, tratando-se de um livro que não assume posições, acaba por ser um excelente texto sobre a liberdade de expressão. Depois de o ler ninguém concluirá que é uma crítica à sua intervenção cívica - nem sempre apreciável, mas creio que motivada pelas melhores intenções.".

Disse-lhe directamente que "não tenho por hábito discordar dos que discordam de mim. Estão no seu direito - tanto mais quando apontam erros que a serem factuais eu serei o primeiro a tentar corrigir -, em público ou em privado". Mas, desta forma e no tipo de comentário que exerceu no DPP, não sei o que pensar da sua "hidden agenda".

Não posso deixar de lhe responder quanto à utilização - supostamente abusiva - dos seus textos no livro "Blogues Proibidos", sendo eu um interessado na questão dos direitos de autor.

Se bem me lembro, o primeiro processo judicial contra si foi precisamente pela republicação de textos sobre o caso Casa Pia, textos que não eram seus.

Se bem me lembro, o António Balbino Caldeira cita e usa textos publicados em jornais no seu blogue.

Se bem me lembro, não pede aos autores qualquer autorização prévia para o fazer mas agradece-lhes. Tal e qual como eu faço.

Espere, não é por alguém ser ladrão que o podemos ser. Não, de todo! Gostava de lhe falar da cortesia - à falta de um termo melhor. Sabe, daquela matéria que mantém os seres humanos ligados entre si. Daquela antiga facilidade que investigadores e cientistas têm cada vez menos de poder citar trabalhos de outrém sem serem processados por multinacionais ou bloggers ou advogados que julgam estar na moda. Daquela facilidade em que blogues se citam uns aos outros sem serem processados (e não é por se passar para o papel que estas coisas se modificam radicalmente).

Gostava de falar de pessoas que antes de me acusarem de ter extensamente copiado o seu blogue, contassem as palavras para depois fazerem a acusação de forma sólida.

Gostava de falar das pessoas inteligentes que entendem que ao publicar na Web sabem perfeitamente estarem a disponibilizar os seus textos e conteúdos ao mundo e que eles poderão ser re-utilizados dentro da lei. Bastava ter lido a introdução do livro para perceber o que ali está escrito: os textos citados são dos autores e os erros são meus. Não podia ser de outra forma. Não há roubo, tal como o livro não trata exclusivamente de si mas de seis casos paradigmáticos.

Sabe, gostava ainda de falar das pessoas que desconhecem o que é legítimo mas acham que "nem sequer creio lícito, usar extractos longos do trabalho publicado de outrém, extractos que o autor guarda fora dos arquivos do blogue para impedir precisamente a sua publicação!..." Pois, como se isso fosse possível na Web e o António não o soubesse. Por isso também gostava de falar das pessoas que se assumem como inexperientes numa matéria na qual não o são.

Finalmente, caro António, se o seu problema é o imenso dinheiro que vou ganhar com o livro, aqui me disponibilizo para lhe dar um sétimo das vendas (a dividir pelos seis capítulos e introdução, deduzidas algumas custas de que podemos falar em detalhe noutro local). Terei todo o gosto em lhe passar o ínfimo cheque a que se julga com direito. Sou eu que insisto: faça as contas e não tema enviar-me a factura.

Melhores cumprimentos

Era bom que alguém reparasse nesta voz:

A abstenção surge porque já ninguém acredita nestes políticos e neste sistema.

Espero

que a ERC intervenha na forma desproporcional como foram relatadas as eleições autárquicas em Lisboa relativamente a outras autarquias. Não agora, na altura, dentro de dois anos. Todos os candidatos às câmaras devem ter o mesmo tempo de antena. Ou não?

13 julho 2007

Mas de que te ris?


Who is smiling? more people in wealthy places (America, Europe, Japan, Saudi Arabia) consider themselves happy, while those in poor countries (in Africa especially) generally do not.

Provavelmente, o último jornal manuscrito


India's News Calligraphers Do It on Deadline: The Musalman is possibly the last handwritten newspaper in the world. Four professional calligraphers spend three hours on each page every single day to put out this daily paper.

Parqueamentos em 2007 e em 1952


The New Science of Parking: Now a growing number of cities are turning to the relatively new science of parking theory and the technologies it has spawned for help — to improve their neighborhoods, reduce pollution and kick-start economic growth

(via)

À atenção de quem tem comentários nos blogues:

Buy Blog Comments: Finally you can purchase quality blog comments without the stress of finding someone to write the comments, or buying some high priced automated program. We specialize in selling blog comments for blackhatters who are looking for good quality backlinks. We have three different types of packages, you can either buy 100 blog comments [$19.99], 500 blog comments [$98.99], or 1000 blog comments [$198.99] at a time.

Backfence encerra

Citizen journalism site Backfence shutting down: A news site that has allowed its users to write and submit their own articles is shutting down, citing unspecified "business issues."
Backfence Inc. had "hyperlocal" sites serving 13 communities in the Washington, D.C., San Francisco and Chicago areas. Residents were allowed to write on any topic, including event announcements and neighborhood traffic congestion, without the meddling of editors.

About the Backfence Closing (by Dan Gillmor): Most startups fail. That is not a bad thing. It is a necessary thing, because a tolerance for risk — no, a need to embrace it — is at the core of how good things eventually come from experimentation. It’s a vital part of how we learn, and improve.

Sobreviventes...

Deleted Images

11 julho 2007

A partir de amanhã

nas mais refinadas livrarias:

PS.: obrigado a todos os que têm referenciado a obra e não pude agradecer pessoalmente.

Redundâncias...

A nova Biblioteca Nacional de Portugal... Havia de ser de onde?!?!

É sempre fascinante saber estas coisas...


Obrigado, Gabriel

Maths shows the silliness of 'silly walks': Scientists have explained mathematically why the famous 'silly walks' of Monty Python's John Cleese have never caught on.
The giant, leg-twirling strides of silly walks may allow someone to leap around swiftly but are simply too expensive in metabolic energy compared to conventional locomotion

Dos jornalistas

E o desatino é de tal monta que se chega ao ponto de pedir, encarecidamente, a um Presidente de República, cujo currículo não possui o mais módico vestígio de luta pela liberdade, que vete o Estatuto, cuja natureza agride a expressão do livre pensamento.

Pergunta da Coreia do Sul:

Will Portugal Be a Headache for Europe?

10 julho 2007

Porque sim

How to: protect your privacy online and why

Origem de símbolos

The Origin of Everyday Punctuation Marks
Origin: When early scholars wrote in Latin, they would place the word questio - meaning "question" - at the end of a sentence to indicate a query. To conserve valuable space, writing it was soon shortened to qo, which caused another problem - readers might mistake it for the ending of a word. So they squashed the letters into a symbol: a lowercased q on top of an o. Over time the o shrank to a dot and the q to a squiggle, giving us our current question mark.

O estranho mundo dos coleccionadores de milhas aéreas

We Love to Fly and It Shows: Inside the World of Mileage Running: Mileage runners are the high-tech nomadic wanderers of the air. Predominantly male, generally obsessed with flying and miles, and typically employed in white-collar careers that involve significant business travel, they scour the web for cheap flights, phoning in sick or using vacation days to fly the longest itineraries they can string together.

Web 0.1

Before the Internet, there was videotex.

09 julho 2007

Uma boa afirmação

The Truth Will Set You Free

Isto também é um abuso...

vindo do Causa Nossa: "Sabendo-se que o referido documento não prima propriamente pelo rigor factual nem pelo equilíbrio crítico (contestando também as medidas contra a concentração, que são uma imposição constitucional a favor do pluralismo dos media...), ficamos a saber que o corporativismo profissional pode sacrificar o rigor e a objectividade que devem ser apanágio da actividade jornalística".

Ou seja, sabendo-se que o CN não prima propriamente pelo rigor factual nem pelo equilíbrio crítico, ficamos a saber que o corporativismo profissional pode sacrificar o rigor e a objectividade que devem ser apanágio da actividade política.

[isto não é plágio, infelizmente é paródia e como tal está protegida pelo direito de autor]

Pousadas de Portugal

Vistas pelo New York Times em 3 minutos e 14 segundos...

07 julho 2007

À procura da objectividade?

Não.

Isto é um obituário:

Count Gottfried von Bismarck, who was found dead on Monday aged 44, was a louche German aristocrat with a multi-faceted history as a pleasure-seeking heroin addict, hell-raising alcoholic, flamboyant waster and a reckless and extravagant host of homosexual orgies.

06 julho 2007

Sem ofensa...

Shrinking Self Esteem

07.07.07

Looking for the New Seven Wonders

No jornalismo, quantidade é qualidade? Uma actualização:


Mais de 270 apoiantes no MIL, sem grande obra produzida sobre o assunto, e eis alguns dos críticos com os quais me identifico mais:

Rejeito em absoluto as novas formas de censura que se pretendem impor aos jornalistas, sob a capa do novo estatuto para a classe. Mas tenho que dizer três coisas, a primeira é que me espanta o "timing" do protesto, já depois de o estatuto ter sido aprovado na AR ao fim de mais de um ano de preparação legislativa, e depois de todos os órgãos de informação terem passado por cima de qualquer discussão sobre a matéria. Na minha opinuão, isto demonstra que, na realidade, este protesto recém-nascido não é, de facto, contra as novas directrizes controleiras - mais do que conhecidas, e deixadas aprovar sem contestação. A segunda observação que tenho a fazer é que, na lista dos signatários do protesto, aparecem“resmas, “palettes” de nomes que, na redacção onde mandam alguma coisa, por pouco que seja, com toda a discreção, sem direito a discussão ou a blogue, põem em prática muitas das directrizes contra a quais assinam abaixo. Isto parece-me a prova provada de que o que se pretende verdadeiramente, com este protesto é conseguir aprovar, a reboque do estatuto, a uma ordem para a classe, algo absurdo quando os jornalistas são trabalhadores não liberais, cujo acto profissional não é, de facto, livre. Por fim, quero dizer que, dada a infeliz conjuntura sócio-económica e laboral, as redacções estão autoamordaçadas e autocontroladas, a ponto de os jornais se terem tornado espelhos baços que pouco revelam da realidade. Mesmo assim, por pouco livres que os jornalistas já sejam, continuo a querer protestar contra um estatuto que limita ainda mais a sua liberdade e autodeterminação.
Isabel Braga (jornalista com a carteira profissional nº 797, "convidada" a sair do PÚBLICO em Setembro do ano passado e desde então no desemprego)

Por isso importa perguntar: Será que alguma vez as ”estrelas“ dos Media se preocuparam, verdadeira e atempadamente, com o que se está a passar nas Redacções e com o carácter prepotente da nova legislação?
É claro que não.
Rui Costa Pinto

SER JORNALISTA É CHEGAR ATRASADO ASSIM QUE POSSÍVEL (Fernanda Câncio): É nesta altura que assistimos à criação de um movimento de jornalistas, o MIL (Movimento Informação é Liberdade), que alega estar "em marcha o mais violento ataque à liberdade de Imprensa em 33 anos de democracia", incluindo nele o Estatuto, "os poderes e a prática da Entidade Reguladora, as novas leis da Rádio e Televisão e o anteprojecto de lei contra a concentração da titularidade". O manifesto não explica exactamente o que desagrada ao MIL nestas leis ou propostas. Tão-pouco dá um motivo para só agora ter consciencializado tão inusitada violência. O MIL explica-se pouco, como se fosse tudo evidente. Mas promete, imagine-se, uma coisa de que nunca ouvíramos falar: "Auto-regulação".
Tudo isto me faz lembrar uma frase do jornalista e escritor sueco Stig Dagerman: "Ser jornalista é chegar atrasado assim que possível." Contra mim falo, e aqui faço o meu mea culpa. Espero pois poder ousar uma pergunta: estávamos à espera de quê?
[Para a confusão, ler ainda Chegar a tempo]


Uma nota final
: o desejo manifestado de se disporem a exercerem o «controlo do acesso e do exercício da profissão» é que me parece totalmente deslocado e ilegítimo. Não devem os cidadãos verem o acesso a este tipo de profissão impedido por regras e condicionalismo criados pelos profissionais que já estão no activo. Seria a mais despudorada forma de controle sobre os seus potenciais concorrentes, uma óbvia restrição à liberdade profissional e ao próprio exercício do direito de informar. Tal pretensão não tem qualquer cabimento nem existem razões de interesse público que a suportem.

05 julho 2007

Democratic Control of Intelligence Services: Containing Rogue Elephants

This comprehensive volume discusses the various challenges of establishing and maintaining accountable and democratically controlled intelligence services, drawing both from states with well-established democratic systems and those emerging from authoritarian systems and in transition towards democracy.

Excerto: Controlling and Overseeing Intelligence Services in Democratic States
What is Intelligence? [I]s the collection and analysis of information, presented to policy-makers in a form that will help them in their decision-making process and their choice of policy options. Intelligence can be directed externally towards foreign entities such as other states and non-state actors. It can also be directed against perceived domestic threats to the security of the state and society, which is traditionally known as security or security intelligence.

Tim Berners-Lee em Lisboa

para falar do futuro da WWW, a 21 de Setembro, na Fourth Ministerial eGovernment Conference.

Ajuda para quem quer emigrar...

...para os Estados Unidos: Do you have what it takes to become a citizen?

04 julho 2007

A propósito do dia da independência :)

(via)

Journalists dole out cash to politicians (quietly)
: Whether you sample your news feed from ABC or CBS (or, yes, even NBC and MSNBC), whether you prefer Fox News Channel or National Public Radio, The Wall Street Journal or The New Yorker, some of the journalists feeding you are also feeding cash to politicians, parties or political action committees.

MSNBC.com identified 143 journalists who made political contributions from 2004 through the start of the 2008 campaign, according to the public records of the Federal Election Commission. Most of the newsroom checkbooks leaned to the left: 125 journalists gave to Democrats and liberal causes. Only 16 gave to Republicans. Two gave to both parties. [...]

There's a longstanding tradition that journalists don't cheer in the press box. They have opinions, like anyone else, but they are expected to keep those opinions out of their work. Because appearing to be fair is part of being fair, most mainstream news organizations discourage marching for causes, displaying political bumper stickers or giving cash to candidates.

Traditionally, many news organizations have applied the rules to only political reporters and editors. The ethic was summed up by Abe Rosenthal, the former New York Times editor, who is reported to have said, "I don't care if you sleep with elephants as long as you don't cover the circus."

But with polls showing the public losing faith in the ability of journalists to give the news straight up, some major newspapers and TV networks are clamping down. They now prohibit all political activity — aside from voting — no matter whether the journalist covers baseball or proofreads the obituaries.

Já agora, esta questão é tanto mais importante com o voto electrónico

Eleições viciadas? (e o frágil destino dos votos lisboetas nas eleições autárquicas em 2001)
Eleições autárquicas de 2001. Viciadas?

Esta seria uma "guerra" interessante...

MEP plans EU build ban on cars faster than 100mph (162 km/hour): The EU Parliament's environment committee is considering a proposal to ban all cars capable of exceeding 100 mph (162 km/hour) from 2013. The proposal, put forward by LibDem MEP Chris Davies, is based on the arguments that cars that go faster than 100 mph are "over-engineered to a ridiculous degree", and that for safety reasons, they need to be heavier, and hence to burn more fuel.

Quer doar o corpo à ciência?

Quanto vale? A Cadaver Calculator faz as contas...

Mega-iate


Os jornalistas agricultores

Alguns provedores, editores ou jornalistas descobriram agora o que o Governo anda a preparar para o controlo do jornalismo há uns anos, desde a sua tomada de posse. De repente, são MIL (ainda não são tantos mas para lá caminham...), e são sempre os mesmos desde que haja um nome sonante à frente da coisa.

Assumem-se como um "grupo de jornalistas" "constatando que se encontra em marcha o mais violento ataque à liberdade de Imprensa em 33 anos de democracia" e que "decidiu juntar a sua voz à de todos os cidadãos e entidades que se têm pronunciado sobre a matéria e manifestam publicamente o seu repúdio por todo o edifício jurídico aprovado pela Assembleia da República".

Mas juntam a voz a quem? Importam-se de repetir e dar casos concretos dos cidadãos e entidades? E a que "edifício jurídico" se estão a referir? Não era bom clarificar as coisas para sabermos do que estamos a falar para qualquer jornalista ou cidadão poder aderir em consciência ao MIL?

O Sindicato dos Jornalistas, não vá perder a pedalada perante movimentos independentes (o termo é meu), acelera e acelera e acelera.

Joaquim Vieira coloca as coisas nuns devidos termos: "Foi preciso que o parlamento (ou melhor, o PS) aprovasse na generalidade o novo Estatuto do Jornalista, quase dois anos após o projecto governamental ter vindo a público, para que os profissionais começassem finalmente a organizar-se para o contestarem na sua essência, a de um perigoso ataque ao direito constitucional da liberdade de expressão e informação (e não nas questões meramente corporativas antes suscitadas pelo Sindicato), ataque esse que, em articulação com outras medidas em curso no mesmo sentido, sugere a existência de uma ofensiva para asfixiar o jornalismo livre. O Movimento Informação é Liberdade tem coisas criticáveis, como uma indefinida, inexplicada e não fundamentada promessa de auto-regulação, além de uma outra de «controlo» (?) do acesso à profissão e do seu exercício, mas é bom que exista e que alerte para o que se está a passar. Só se espera que o Presidente da República venha a ser sensível a este grave problema".

Este "grave problema" faz-me lembrar a eterna (desde a adesão à CEE) luta dos agricultores que criticam o ministério e a sempiterna escassez dos fundos comunitários. O ministro diz qualquer coisa como "atão saiam da União Europeia". Os agricultores continuam montados nos seus jipes.

A lista de jornalistas apoiantes é como a lista dos agricultores: chegam tarde - muito tarde - à discussão finalizada, apresentam nada excepto o seu nome, mas querem estar presentes na manifestação em que todos vão atirar uns inócuos tomates. Claro que nessa altura é tarde demais - já é, não será?

Era bom que explicassem para onde querem ir. Por exemplo, quem dos MIL assinantes poderá agora entrevistar qualquer dos governantes da área da comunicação social sem assumir ser do MIL? Por exemplo...

01 julho 2007

É só fumo?

England smoking ban takes effect: Smokers across England have sparked up at work and in the pub for the last time as the ban on smoking in enclosed public places begins.
The new law, which came into effect at 0600 BST, is intended to cut deaths from second-hand smoke.

Lei sobre o Tabagismo e Saúde Pública: Fui um dos dois Deputados que votaram contra a Lei sobre o Tabagismo e não escorreguei na "casca de banana" que o Governo remeteu à Assembleia da República. [a ler: Nova lei do tabaco aprovada esta quinta-feira]